Cirurgiões russos substituem laringe com câncer por parte de intestino do paciente

Homem que passou por procedimento já pode comer e falar normalmente

Médicos do Instituto de Pesquisa Oncológica de Moscou concluíram uma operação inédita, depois de substituírem a laringe com câncer de um paciente por parte de seu intestino, segundo informou o jornal russo Izvêstia. “Em alguns casos de câncer, não só precisamos remover a laringe, mas também a faringe.

Essas pessoas não podem comer nem falar normalmente – ficam totalmente incapacitadas”, diz o chefe do departamento de microcirurgia do Instituto, Andrêi Poliákov. “Usamos parte do intestino grosso e delgado e a válvula ileocecal. Com o intestino grosso restauramos a faringe e o esôfago, e costuramos o delgado na traqueia.”

O esfíncter ileocecal, ou válvula ileocecal, separa o intestino delgado e o intestino grosso e impede que os alimentos digeridos viajem pelo caminho errado.

Depois do transplante, essa estrutura passou a atuar como as cordas vocais do paciente. De acordo com as últimas informações do instituto, o primeiro paciente a passar por esse tipo de procedimento passa bem e já é capaz de comer e falar.

Cerca de 8.000 pacientes com câncer necessitam de transplante de laringe todos os anos na Rússia. Embora a prótese artificial seja uma opção, elas devem ser trocadas duas ou três vezes por ano, gerando um gasto de 20 mil rublos (US$ 320).

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário