Governador disse que “está fazendo blitz em postos da PRF para evitar uso de carros oficiais fora de horário”

Vai rodar

Edson Martins de Paula, deputado estadual do PMDB deverá perder o mandato até julho. Ele foi condenado por improbidade administrativa pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por fraude a licitação quando era prefeito em Urupá, ainda em 2007. Ele havia impetrado um recurso ao STJ que foi negado pela Segunda Turma na última quinta-feira. O acórdão (decisão) deve ser publicada nos próximos 10 dias, segundo informou a assessoria do próprio STJ. Como a condenação prevê a perda de cargo público, o próximo deputado será Ezequiel Neiva (PMDB), que já foi parlamentar pelo PP entre 2006 a 2010.

[su_frame align=”right”]//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js // [/su_frame]Rodando

E o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Velho resolveu dar um rolé com a camionete oficial no feriadão dos evangélicos. Jurandir Bengala (PT) foi flagrado por um leitor de PAINEL POLÍTICO na Avenida Campos Sales, próximo ao hospital João Paulo II. Indignado, o cidadão fotografou e enviou por Whatsapp (9248-8911), dando local e horário. Circular com um carro oficial fora do horário ou em fins de semanas e feriados deixa as pessoas indignadas. Isso é crime, isso é imoral, isso é vergonhoso. Ainda mais porque o vereador tem uma camionete novinha em folha, dele, mas ele prefere economizar seu carrinho e botar para rodar na viatura pública.

Bengala

Saiu em defesa das empresas de ônibus de Porto Velho, que rodam com verdadeiras sucatas pela cidade e disse que o preço da passagem é baixo. Para quem tem duas camionetes para rodar, fica até meio sem sentido esse tipo de afirmação.

Evento

Em Espigão do Oeste foi inaugurado um semáforo e o evento contou com fanfarra, presenças de autoridades e desfile. Lembrou a ficcional Sucupira, de Dias Gomes.

Soberania

Um grupo de oito senadores brasileiros foi recebido com pesadas manifestações na Venezuela esta semana e praticamente foram expulsos do país que vive uma ditadura chavista muito mal disfarçada de democracia. Mas pior que os problemas bolivarianos, foi o apoio que o governo Dilma deu a esse ato desrespeitoso. A presidente ainda afirmou que os senadores não deveriam “se intrometer em questões internas da Venezuela”. Eles queriam saber sobre prisões “políticas” que estão ocorrendo por lá.

[su_frame align=”right”]//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js // [/su_frame]Mas

Pera lá, não foi a mesma Dilma que desrespeitou descaradamente a Indonésia devido a execução de um traficante brasileiro que havia sido condenado a morte naquele país após ter sido preso com 13 quilos de cocaína em uma asa delta? Também não se tratava de uma questão interna da Indonésia? Não foi uma tentativa de interferir no sistema judicial daquele país? Mesmo assim, na época, parte do Senado apoiou Dilma, por se tratar de uma questão humanitária. Agora o PT tenta ridicularizar oficialmente o Senado da República, ao espalhar em redes sociais que os senadores haviam “cheirado errado” ao irem a Venezuela.

Um dos problemas do PT

Foi dividir o país em ricos e pobres, gays e héteros, pregar o fundamentalismo e partir para a tática do “nós fizemos, mas eles fizeram primeiro”, como se um crime justificasse outro. Ao invés de tentar nivelar por cima, arrasta consigo para a lama qualquer um que se oponha aos absurdos que vem sistematicamente cometendo neste país. Antes de sermos petistas, tucanos, evangélicos, católicos ou macumbeiros, somos brasileiros, e precisamos respeitar isso. E é através de união que isso acontece. Se um brasileiro, seja quem for, estiver sendo atacado no exterior, cabe a todos nós partirmos em sua defesa. Essa mentalidade cretina do “não é comigo, não me meto” nos coloca em situação de fragilidade perante o mundo. Se um caso dessa natureza acontecesse na atrapalhada Argentina ou mesmo aqui nos vizinhos bolivianos, tenho certeza que fechariam fronteiras e iriam às ruas se manifestar. Mas pelo jeito, o “jeito PT” de governar vai nos separar cada vez mais. Se mantivermos esse ritmo, muito em breve seremos vários brasis. E todos falidos.

Crise, que crise?

O Brasil fechou 115.599 vagas de trabalho com carteira assinada em maio, mostraram dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (19). É o pior resultado para um mês de maio desde 1992. Desde aquele ano, o país não tinha registrado mais demissões do que  contratações em maio. O número do mês passado é resultado de 1.580.244 demissões e 1.464.645 admissões. Em abril, tinham sido fechadas 97.827 vagas no país, também pior resultado para o mês desde 1992. De janeiro a maio deste ano, foram fechados 243.948 empregos formais. Em 12 meses, o saldo negativo chega a 452.835 vagas. O corte de vagas foi maior do que o esperado por analistas. A média estimada pelo jornal “Valor Econômico” era de perda de 50,6 mil vagas, enquanto pesquisa da agência de notícias Reuters apontava fechamento de 38 mil postos. Mas isso deve ser invenção da “mídia golpista”.

Agora vaaaaaaaaaaaaiiii!!!!

Confúcio disse, “diante desta realidade, cada secretário (a) deve cuidar muito bem da sua secretaria. E mais do que nunca valorizar as pequenas coisas.  Cada um deve usar a arma de que dispõe para vigiar seus contratos, licitações, estoques nos almoxarifados, diárias, prestações de contas, convénios, enfim, tudo. Os gastos com combustíveis, as diárias, a manutenção de veículos, compra de peças de reposição, as viagens, os cursos fora do Estado, e tudo que puder.”

Bem

Ele se referiu a uma reunião que teve com seu secretariado esta semana onde afirmou estar “me cercando de todas as ferramentas para proteger a imagem do Estado de Rondônia e do seu povo. Até blitz nos Postos da Polícia Rodoviária Federal, estou fazendo para controlar entradas e saídas de veículos”. Ocorre que essa conversa é velha. Notícia requentada. Ele falou isso lá no começo de seu primeiro mandato e deu no que deu. Mas falar sobre punições em relação a quem foi pego com a “boca na botija” como o coronel Lioberto (DER) e Márcio Gabriel (SUPEL), só para citar os mais recentes, nada. É como se uma reunião, pedindo “lealdade” resolvesse todos os problemas do governo. O bom é que o governador afirmou que “agora, não posso dizer que não sei”. É, acho que de fato as coisas estão aceleradas.

Insegurança

Vilhena, assim como Porto Velho, está atravessando uma crise sem precedentes na segurança pública. Enquanto o governador fica “fazendo blitz em posto da PRF para controlar carros oficiais” a bandidagem toma conta do Estado. O pior mesmo é saber que não existe um plano sequer para conter essa situação. Esse governo de fato coopera com todos. Até com a vagabundagem.

Para contatos

Fale conosco pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no www.painelpolitico.com e www.facebook.com/painel.politico e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Whatsapp 9248-8911.

Como o álcool afeta a capacidade de direção

No Brasil, uma lei que vigora desde janeiro de 2013 acabou com a tolerância de álcool permitida a motoristas. Além disso, se o condutor fizer o teste do bafômetro e a concentração de álcool em seu sangue for maior do que 0,34 mg/L, pode ser preso por seis meses a três anos, além de pagar multa, e ter o direito de dirigir suspenso. Mas como diferentes concentrações de álcool afetam a capacidade de direção? As informações são da Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário (NHTSA) dos EUA. Os sintomas de diferentes concentrações de álcool no sangue na capacidade de direção. Veja como o álcool age no organismo, percentualmente. 0,02% – Funções visuais diminuem, diminuição da capacidade de fazer duas coisas ao mesmo tempo; 0,05% – Funções visuais diminuem, diminuição da capacidade de fazer duas coisas ao mesmo tempo; 0,08% – Diminuição da concentração, perda de memória de curto prazo, perda do controle da velocidade, redução da capacidade de processar informações (capacidade de ver placas ou sinalizações), diminuição da percepção; 0,10% – Redução da capacidade de ficar na mesma pista da estrada e parar corretamente; 0,15% – Incapacidade substancial para controlar o veículo, prestar atenção às funções de direção e processar informação visual e auditiva.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário