Coluna – Confúcio, exonera logo o Ezequiel Neiva antes que ele acabe com o Estado

E ainda, a Polícia Federal está de olho em federação esportiva em Rondônia que recebe até emenda parlamentar federal mas não realiza nada

Federações

A Polícia Federal deflagrou essa semana a Operação Nemeus, que investiga fraudes em repasses feitos à federação de Tae Kwon Do. Teriam sido desviados mais de R$ 26 milhões no esquema. Já fica o alerta, a PF também anda de olho em uma federação rondoniense, que andou recebendo uma bolada, inclusive de emendas parlamentares federais e não promove nada faz muito tempo.

Ibope

A pesquisa encomendada pela Rede Amazônica mostrou uma coisa, Pimentel está igual a Cahúlla nas eleições de 2010, não decolou. Na época eu comparei o então candidato ao governo ao avião Antonov, da força aérea russa. Tal qual a aeronave, Cahúlla precisava de muita pista para alçar voo, no caso do candidato, tempo. Pimentel está na mesma situação. E com bem menos pista…

Melhor para ele

A surpresa da pesquisa ficou por conta de Léo Moraes, que muitos não acreditavam, ou olhavam com certa desconfiança a audácia dele em sair candidato em uma disputa majoritária. Léo ficou na melhor posição, com rejeição baixíssima e empatado com Mauro Nazif, que está com a rejeição nas estrelas. Roberto Sobrinho, apesar de estar em primeiro, também sofre e já atingiu o teto, de 22% não passa. (Dados da pesquisa no final da coluna).

Faltou diálogo

Mauro Nazif pecou em um ponto crucial, a falta de diálogo com a população. Nunca deu bola para a comunicação, colocando em segundo plano. Erro primário em tempos de redes sociais, onde o eleitor cobra abertamente seus representantes. Mauro trabalhou nos dois primeiros anos agindo como se estivesse ainda na idade da pedra lascada, achando que o “boca a boca” resolve. O resultado está ai, uma rejeição estratosférica. Deveria ter seguido o exemplo de seu companheiro de partido, Jesualdo Pires, prefeito de Ji-Paraná, que está todos os dias nas redes sociais interagindo e mostrando o que tem feito. Mauro foi fazer isso tarde demais e não foi falta de aviso…

Abro o e-mail

E me deparo com o release da Secom informando que “o DER conta hoje com um parque de máquinas com cerca de 600 unidades”, como se isso fosse alguma vantagem. O texto prossegue com um monte de asneiras, do tipo “frentes de serviço trabalham na manutenção de mais de 12 mil quilômetros de estradas de chão”. Governador, onde o senhor anda? Como deixa que o diretor do DER faça tanta besteira junta? Desde quando governo tem que “comprar maquinário”?

Vou desenhar

Um trator de esteira custa em média R$ 300 mil. As peças de reposição, pneus, mais combustível, garagem e manutenção gastam pelo menos R$ 100 mil por ano. Mas tem um detalhe, esse maquinário nunca está 100% e nem vou falar do roubo de peças. O DER tem que contratar a iniciativa privada, fazer licitação sem rolo, sem aquelas lambanças cometidas por Lúcio Mosquini e sua trupe. Ao contratar o setor privado, aumenta a geração de emprego e o dinheiro circula, sem contar que o Estado não perde dinheiro com máquinas. Onde o senhor acha que vai estar esse equipamento daqui a 6 meses?

Auto-promoção

O que Ezequiel Neiva está fazendo é demagogia, papo furado puro, jogando fora dinheiro público. Cadê o Ministério Público que não vê isso? Onde anda o Tribunal de Contas, desaprenderam a fazer conta por lá? Não dá para levar a sério esse tipo de política, ainda mais com o estado na atual condição. Quem paga imposto é empresa, e não “servidor comissionado” contratado “emergencialmente”. Esses contratos servem apenas para empregar indicados por deputados que precisam de emprego mas não tem qualificação. Tá na hora de Rondônia parar de brincar com coisa séria. A crise está aí, na cara de todo mundo e o governo fazendo graça no setor mais sensível, que poderia estar empregando milhares e economizando, de verdade. Exonera o Ezequiel, o que ele quer é ser deputado federal em 2018 e fica usando o DER para se auto-promover.

Enquanto o Ezequiel brinca

Todas as construtoras de Rondônia agonizam. Foram obrigadas a demitir milhares, tiveram equipamentos sucateados e acumulam dívidas enormes.

Confúcio sabe

Como poucos, que o Estado deve ser mínimo, ele próprio fez vários questionamentos sobre contratações de comissionados e emergenciais. O governador conhece bem os efeitos dessa politicagem que está sendo feita no DER. Exonera governador, antes que a situação fique ainda pior. Coloque alguém responsável, que não seja político para fazer com que o DER funcione. A economia agradece, as estradas também.

Clínica Mais Saúde informa – Ter poucos amigos pode fazer tão mal ao corpo quanto fumar

Não ter amigos pode ser tão prejudicial à saúde quanto fumar. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico Proceedings of the Royal Society B, manter um círculo social pequeno está associado ao aumento da produção de uma proteína coagulante que pode causar infarto e derrame. Em situações “normais”, o aumento da produção dessa proteína é desencadeado como resposta a uma lesão ou perda de sangue. No entanto, em excesso, ela pode prejudicar a saúde ao aumentar a pressão sanguínea e causar o depósito de gordura nas artérias. Acredita-se que a solidão também haja como um fator estressante e desencadeante de fibrinogênio no sangue. No estudo, pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, compararam os níveis da proteína coagulante fibrinogênio com o número de amigos e familiares na vida de uma pessoa. Os resultados mostraram que conforme o número de pessoas no círculo social de alguém diminui, maior o nível de fibrinogênio no sangue. “A ‘desconexão’ social mostra uma associação significativa com o fibrinogênio. Se de fato há uma relação causal entre isolamento social e fibrinogênio e, posteriormente, doença cardíaca e derrame, então políticas e intervenções que melhorem a conexão social pode ter efeitos positivos sobre a saúde, que vão além dos benefícios econômicos já conhecidos.”, disse David Kim, autor do estudo.

DADOS DA PESQUISA IBOPE

O Ibope ouviu 602 eleitores entre os dias 20 e 23 de agosto. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de quatro pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) sob o protocolo RO-01266/2016.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário