Coluna – DER mudou direção, mas continua tudo igual; Mariana, desce do muro!

Mais de 50 dias após assumir direção do Departamento de Estradas, Izequiel Neiva ainda não mostrou a que veio. E ainda, Mariana Carvalho, a deputada “bonitinha” que não desce do muro

Onde anda?

Nos últimos meses muita gente vem se perguntando por onde anda o governador de Rondônia Confúcio Moura, que parece estar passando por um período sabático desde o final de 2014. O chefe do executivo dificilmente tem sido visto em público, fez raríssimas aparições e nem em trocas importantes, como a do comando geral da Polícia Militar ele compareceu. Manda sempre o vice, Daniel Pereira ou o chefe da Casa Civil Emerson Castro. Essa ausência de Confúcio vem causando desconforto entre seus assessores.

Enquanto isso

Nas eleições municipais de 2016 toda a legislação favorece quem está atualmente no poder. O tempo de campanha foi reduzido de 90 para 45 dias e a propaganda em rádios e tvs também caiu de 45 para 35 dias e o tempo também mudou. Serão dois blocos de 10 minutos cada, para candidatos à prefeito e só participam de debates candidatos de partido com mais de nove representantes na Câmara Federal. Com essas mudanças, percebe-se claramente que tem vantagem quem está no poder e vou explicar o motivo.

Ser conhecido é caro

Em apenas 45 dias o candidato terá que gravar programas eleitorais, participar de reuniões, debates, cuidar das contas de campanha (o partido passa a não mais ser punido, somente o candidato que tiver contas rejeitadas ou não prestadas) e ainda pedir votos. Uma estrutura desse porte custa caro e quem já está lá, leva larga vantagem sobre os demais. Quem está no cargo já tem toda essa estrutura, paga com recursos públicos, enquanto quem está fora ainda precisa correr atrás de dinheiro para poder bancar a campanha. E quem acompanha o processo político sabe que eleitor e empresas só metem a mão no bolso para candidato com chances reais de vencer. 90 dias era um prazo razoável, 45 é inviável.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Deve ser por isso

Que Mariana Carvalho, prevendo um desgaste imenso de seu nome (ainda) em alta decidiu pular fora da barca furada que será a disputa agora em 2016. Conforme informou o articulista Robson Oliveira em sua “Resenha Política” nesta terça-feira, o pai de Mariana, Aparício Carvalho afirmou que os projetos da bela “são mais ambiciosos”. Com isso, os tucanos vão ter que escolher outro bicudo para a disputa.

Valorizando

No final da tarde desta terça-feira, Mariana enviou nota através de sua assessoria tentando desmentir o articulista Robson Oliveira, negando que tenha qualquer decisão em relação as eleições desse ano. Na nota, a parlamentar alega que “essa não é a primeira vez que setores da mídia publicam que Mariana Carvalho não será candidata à Prefeitura” e completa, “apesar de a congressista evitar falar sobre o seu futuro político”. E não Mariana, não é cedo para falar sobre prefeitura. Melhor você descer do muro e decidir sua vida política aqui em Rondônia e parar de frequentar baladas país afora. Os problemas nossos aqui são seríssimos. Se você acha que “é cedo”, então melhor ficar por Brasília mesmo. De gente enrolada, já basta os que ficam por aqui em tempo integral. Você “turistando” causa menos problemas que politicando.

Aproveita

Que está em Brasília e faz um favor para Rondônia, tenta reverter a perda dos voos que teremos esse ano em Porto Velho. Para quem acha que a vida aqui é isolada, fica olhando quando as companhias reduzirem em 50% conforme está previsto.

Tornozeleira

Alô Ministério Público, dá uma olhada nos contratos do Estado com a empresa Spacecomm responsável pelas tornozeleiras eletrônicas que estão sendo usadas pelos presos. A empresa é de Curitiba (PR) e nós já chamamos a atenção sobre esse assunto em setembro do ano passado. Uma dica, verifiquem o que está sendo pago x o que está sendo usado x o que está em funcionamento.

Enquanto isso

O promotor Shalimar Priester Marques, responsável pela curadoria da Segurança Pública encaminhou ofício aos escrivães da Polícia Civil, convidando-os para uma reunião que deveria ter acontecido nesta terça-feira, 19, na sede do MP para tratar das visitas técnicas que estão sendo agendadas para este ano, conforme resolução do Conselho Nacional do Ministério Público. Estava tudo bem, tudo certo, até que….

Vão levar falta

O diretor geral da Polícia Civil, Elizeu Muller resolveu dar uma de “Capitão Nascimento” e decretou, “não vai subir ninguém”. Na segunda-feira, 18, encaminhou ofício ao diretor de Polícia Metropolitana, Júlio César Árabe informando que “os servidores não estão autorizados ao comparecimento dessa reunião”. Quem fosse, iria levar falta no trabalho. Pois é, parece que a direção da Polícia Civil, que não consegue garantir a segurança da população, resolveu abrir guerra contra o Ministério Público.

Seis por meia dúzia

Quando o coronel bombeiro finalmente resolveu descolar da cadeira do DER, muita gente comemorou. Mas essa troca de comando não mudou muita coisa no que diz respeito ao trabalho do órgão. Mudou diretoria, alguns voltaram, outros saíram, mas para a população foi uma troca de seis por meia dúzia. O atual diretor parece mais perdido que cego em tiroteio e isso ficou bem claro em uma entrevista concedida por ele a uma rádio da capital nesta terça-feira. Ele não tem planejamento, ficou repetindo discursos do ex-diretor Lúcio Mosquini e exaltou um trabalho que não cabe ao DER, que é o asfaltamento de ruas nos municípios. Aquele asfalto todo de 2014 tinha apenas uma função, garantir a reeleição de Confúcio e a eleição de Mosquini. O asfalto acabou, assim como as estradas de Rondônia.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Planejamento zero

As rodovias estaduais estão desmanchando e o diretor do DER não sabe o que fazer. Máquinas estão sucateadas, o Estado está sem dinheiro para licitar e ele vai apenas ficar por lá. Não, Izequiel Neiva não vai assumir a vaga de Edson Martins na Assembleia Legislativa. Ainda cabem recursos ao deputado e ele deve terminar o mandato. Melhor Neiva voltar lá para onde estava, lá ele não fazia nada, mas não prejudicava ninguém além dos cofres públicos que pagavam seu salário. No DER ele prejudica os cofres e o Estado. O DER pede socorro.

Nas lojas

Baixe agora o aplicativo do PAINEL POLÍTICO nas lojas da Apple (Iphone, Ipad) e na GooglePlay (Android). Para baixar, basta fazer a busca por Painel Político nas respectivas lojas. O app é gratuito e facilita na leitura das notícias. Se preferir, pode clicar AQUIpara Android e AQUI para Iphone.

Chamada escolar

Nesta terça-feira PAINEL POLÍTICO recebeu vários telefonemas e mensagens de pais indignados pelos problemas causados pela prefeitura em relação à matricula de crianças na rede pública. Na escola Rio Guaporé muita gente dormiu no pátio do colégio para poder garantir a matrícula e haviam 200 pessoas e foram distribuídas 50 senhas. Em diversas outras escolas a confusão se repetiu, mostrando que a coisa não está assim tão organizada quanto se diz por ai. Lamentável que ainda estejamos passando por isso nessa altura do campeonato. Era um problema que deveria ter sido resolvido há tempos.

Clínica Mais Saúde informa – Enzima reduz efeitos tóxicos do excesso de açúcar

Um time de cientistas canadenses descobriu, dentro do corpo humano, uma potencial arma contra as consequências nocivas do consumo exagerado de doces. Pesquisadores da Universidade de Montreal identificaram uma enzima capaz de reduzir os efeitos tóxicos do excesso de açúcar no organismo, fazendo com que o corpo absorva apenas uma quantidade benéfica de glicose. O achado pode abrir caminho para o desenvolvimento de novos tratamentos para obesidade e diabetes tipo 2 — aquele contraído ao longo da vida por causa, especialmente, de maus hábitos alimentares. Chamada de glicerol 3-fosfato fosfatase (G3PP, na denominação em inglês), a tal enzima tem papel-chave na regulação da quantidade de glicose que cada célula utiliza. Segundo os autores da pesquisa, publicada ontem na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”, a G3PP está presente em todos os tecidos do corpo de mamíferos e pode ter um efeito “detox” no organismo, eliminando o excedente de glicose. De acordo com a pesquisa, o corpo não produz, naturalmente, uma quantidade de G3PP suficiente para inibir os efeitos do excesso de glicose que levam ao diabetes. A equipe quer descobrir quais são “as pequenas moléculas ativadoras de G3PP”, para desvendar o que exatamente impulsiona essa enzima a entrar em ação. O objetivo é, no futuro, desenvolver drogas para tratar distúrbios metabólicos, obesidade e diabetes tipo 2. Para que isso aconteça, porém, ainda faltam muitas pesquisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *