Coluna – Duas mulheres podem disputar governo de RO em 2018

Mariana Carvalho e Jaqueline Cassol podem estar no processo eleitoral e fazer história, já que será a primeira vez que isso acontece em Rondônia

Demorou demais

Confúcio Moura trabalha nos bastidores para privatizar a Caerd, e está demorando muito, devia ter feito ainda em sua primeira gestão. A companhia é um cabide de empregos para todos que precisam de um “gordo CDS’. Por lá tem policial civil, ex-secretários, ex-assessores enrolados, enfim, a lista é grande. A companhia há anos opera no vermelho, mas isso não é motivo para vendê-la, ela está assim há décadas. O principal motivo para sua transferência para o setor privado é a total incapacidade do Estado e dos empregados em gerenciar a companhia. Já foi tentado de tudo, compartilhamento de gestão, gerenciamento próprio, enfim, todas as alternativas se mostraram ineficazes.

Os sindicatos

Claro, vão chiar. E com razão. Ser sindicalista no Brasil virou profissão, rentável e sem necessidade de prestar contas. Os “podres” só aparecem durante as campanhas sindicais, e isso, claro quando um grupo estranho tenta tomar o poder. É o Sindur o maior prejudicado com a venda da Caerd, mas grande parte da população apóia. As pessoas querem água tratada e saneamento, não importa se a empresa é pública ou privada. A venda da Caerd vai representar uma economia relativamente pequena ao Estado, apesar dos altos salários, não é nada que afete o caixa. Mas vai representar uma grande melhoria para a vida da população que, quem sabe, agora consiga ter a dignidade de um vaso sanitário com descarga e uma torneira que jorre água limpa.

Se armando

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB) anda brilhando os olhos para disputar o governo em 2018. Na cabecinha dela já está tudo certo e ela já se movimenta nesse sentido. A família Carvalho trabalha para eleger Maurício, irmão da deputada ao cargo de vereador nas eleições deste ano. Se o projeto de Mariana vingar, ela seria, de fato, uma novidade no processo.

Então

Já temos para a disputa em 2018, o senador Acir Gurgacz, o deputado estadual Maurão de Carvalho, a deputada federal Mariana Carvalho e talvez Jaqueline Cassol. Seria a primeira vez que duas mulheres disputaram o governo de Rondônia.

E nem adianta

Perguntar para Mariana ˜se é verdade”. Ela vai negar como negou que não disputaria a prefeitura de Porto Velho em 2016…

Falando em Gurgacz

Ele se licenciou do Senado por 120 dias e assumiu seu suplente, o advogado Gilberto Piselo. O senador saiu para coordenar as campanhas municipais do PDT em Rondônia e aproveitar para fortalecer a legenda para 2018.

Fora Cunha (?)

Não acho que o deputado federal Eduardo Cunha merece a cassação. Meus argumentos para isso estão AQUI.

Não foi recurso

O julgamento do registro de candidatura de Roberto Sobrinho nesta segunda-feira pelo Tribunal Regional Eleitoral foi adiado devido a um pedido de esclarecimentos da Corte ao Ministério Público Federal sobre um documento anexado ao processo. O prazo é de 48 horas. Mesmo que Roberto consiga se manter na disputa, e se levarmos a conversa para um cenário onde ele vence o pleito, sua permanência no cargo é praticamente impossível, em função de seus problemas jurídicos. É a história do ganha, mas não leva.

80 quilômetros

Essa foi a velocidade da ventania que derrubou a torre da SIC TV (antiga TV Candelária). Ventos e chuvas em Porto Velho estão ficando cada vez mais estranhos.

Clínica Mais Saúde informa – Suicídio poderia ser evitado se sinais não fossem banalizados

Mais de 800.000 pessoas cometem suicídio a cada ano no mundo. No Brasil, o último dado do Ministério da Saúde mostra que em 2014 foram mais de 10.600 casos no país. Dificuldades como as que vêm com a velhice, crises financeiras, solidão, fim de relacionamentos amorosos são considerados fatores de risco para o suicídio, já que funcionam como gatilho para desencadear crises dos transtornos. De cada dez suicídios, nove poderiam ter sido evitados com diagnóstico e tratamento corretos dos transtornos. Frases como: a vida não vale mais a pena; melhor morrer; queria desaparecer são sinais de alerta. Esse alerta é um pedido de ajuda comum, pois todo suicida tem uma ambivalência: ele quer morrer porque quer fugir dos problemas, mas também quer ajuda. Enquanto o maior índice de suicídio está entre os idosos, a faixa etária entre 15 e 19 anos registrou o maior aumento de mortes. A alta de casos nesta faixa etária chegou a 30%, superior a 10,8% na média nacional entre 2000 e 2012. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 30% dos suicídios no mundo ocorrem por envenenamento com pesticidas, a maioria é registrado em zonas rurais de países com baixa e média renda. Outros métodos recorrentes são enforcamento e uso de armas de fogo. O conhecimento dos métodos de suicídio mais utilizados é importante para a elaboração de estratégias de prevenção que têm se mostrado eficazes, como a restrição de acesso aos meios de suicídio.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário