Coluna – Entrevistas com candidatos tinha 10 minutos; não consegui passar do 4

Site entrevistou os 7 candidatos à prefeito de Porto Velho e deu 10 minutos, veja como se saíram

Cadê a fiscalização?

Se tem uma coisa que não funciona em Porto Velho (entre tantas outras) é a fiscalização municipal. Impressiona a quantidade de estabelecimentos que opera na ilegalidade, de bancas de camelôs que vendem DVDs piratas à empresas de médio porte. Um dos exemplos mais gritantes foi o porto da empresa L.P. Moreira de Luna, que opera no bairro Triângulo, em área que já havia sido indenizada e deveria estar isolada. A “brincadeira” causou prejuízos apenas à empresa que mantinha seus veículos no local, mas a coisa pode ficar ainda mais séria, se as carretas não forem retiradas imediatamente.

Mas o problema

É que ninguém está nem aí. A empresa havia se comprometido em entregar um plano para retirada das carretas do local, mas até agora nada foi feito. Elas contém produtos químicos utilizados na produção de asfalto, e agora vem o mais interessante, a empresa proprietária das carretas é contratada da prefeitura de Porto Velho e já faturou quase R$ 5 milhões. Em junho desse ano ela conseguiu um “realinhamento” de quase R$ 600 mil no contrato original, que era de R$ 4,3 milhões.

Agora a pergunta

Quando uma empresa é contratada pelo poder público ela não tem que apresentar uma série de certidões e documentos? Entre essa papelada não tem que constar endereço de sede, e o local não precisa ser fiscalizado? Sou bem capaz de apostar que daqui a pouco ninguém fala mais no assunto e a coisa cai no esquecimento.

Rebelados

E o Estado deu um exemplo de como não conduzir uma negociação com presos. Uma rebelião no presídio de Ariquemes iniciada no sábado rendeu uma série de regalias aos presos que a maioria da população não tem, e de quebra os bandidos ainda conseguiram a demissão do diretor da unidade. Como forma de pressão os delinquentes filmaram um preso sendo torturado. Em qualquer estado sério isso seria motivo mais do que suficiente para a Polícia Militar invadir e conter à rebelião com uso de força. Se já não bastasse todo gasto que a população tem em manter vagabundo bem nutrido, o Estado ainda resolve ser condescendente com a violência. Vai virar uma bola de neve. O governador tinha que exonerar todo o comando da SEJUS.

“Bom administrador”

O Rondoniaovivo entrevistou os candidatos à prefeito de Porto Velho. Comecei assistindo a do Roberto Sobrinho. Parei no minuto 4, quando ele disse “eu sou um bom administrador”. Roberto não pode ser levado à sério.

“Coisa feia”

Já Mauro Nazif, atual prefeito e candidato à reeleição disse que “a gestão passada tinha feito aquelas coisas feias, que não vou discutir”. Mauro, meu amigo, ao não falar você compactua com a coisa errada. O Roberto não está tendo pena de seu couro não. Se você encontrou a “coisa feia” entrega, porque para a população o que está feito é a sua administração. Parei de assistir quando ele começou a falar de si na terceira pessoa, ai não aguento…

Meloso demais

A entrevista do Pimentel eu não consegui passar do minuto 3. Estava tão meloso, tão dócil que parecia o ursinho Puff. Contraste total com o vozeirão de Sandra Santos.

Inova demais

Léo Moraes falou tanto em inovação que no minuto 4 eu resolvi assistir a entrevista do Hildon Chaves.

Propaganda

Até o minuto 4 eu descobri, pelo Hildon Chaves, tudo sobre o grupo educacional dele e da esposa. Depois eu cansei, achei que a entrevista era sobre política.

Ribamar e Pimenta

Não assisti.

Na sexta-feira

O Ministério Público apresentou denúncia contra Roberto Eduardo Sobrinho; sua esposa Lucilene Peixoto dos Reis; o ex-presidente da Emdur, Mario Sergio Leiras Teixeira e, ainda, os seguintes servidores públicos e empresários: Wilson Gomes Lopes, Walter Fernandes Ferreira, Vera Lúcia da Silva Gutierre, Noêmia Fernandes Saltão, Wilson Gondim Filho, Arlindo Alves Monteiro Filho, Antônio Alves de Souza, Francisco Honório Ferraz, Paulo Kruel Guerra Simões e Maria Elisa Garcia de Freitas de Almeida, imputando-lhes prática de crimes contra a lei de licitações, falsificações de documentos públicos e particulares e falsidades ideológicas. Ele é um bom administrador.

Clínica Mais Saúde informa – Ir a shows aumenta sua felicidade

Um estudo acaba de confirmar o que já se suspeitava: a música deixa as pessoas mais felizes. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico Psycology of Music, o bem-estar é ainda maior em pessoas que vão a shows. Para verificar se havia uma conexão entre o “tipo de consumo” de música e o nível de felicidade de uma pessoa, pesquisadores da Universidade Deakin, em Victoria, na Austrália, analisaram 1.000 entrevistas com australianos selecionados aleatoriamente. Os questionários abordavam seis diferentes formas de engajamento na música: ouvir, cantar, tocar, dançar, compor e frequentar eventos musicais. Os resultados mostraram que pessoas que se engajam em atividades como dançar ou ir eventos musicais, como shows, festivais e musicais são mais felizes do que aquelas que apenas ouviam, cantavam, tocavam ou compunham.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário