Coluna – Grampos da Apocalipse continuam sendo investigados

E ainda: A folha de pagamento que tinha Pelé e Martha Rocha também

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Grampolândia

Temendo estar sendo “ouvido clandestinamente”, o Tribunal de Justiça de Rondônia adquiriu, em 22 de novembro do ano passado, um equipamento chamado “correlacionador omni-espectral de frequências e detector de junções não lineares”, que em outras palavras nada mais é que um “´radio que escuta rádios”, ou seja, ele faz varredura em ambientes para saber se tem algo transmitindo áudio e vídeo. O brinquedo custou R$ R$ 235.219,00.

Só que…

O do Tribunal de Justiça custou muito caro. O mesmo equipamento está à venda, com pronta entrega ao preço de R$ 75 mil neste site brasileiro. E em 2012, a secretaria de segurança pública do M,aranhão adquiriu o equipamento por R$ 91.650,00, através de licitação pelo Ministério da Justiça. O Ministério Público de Rondônia havia aberto licitação para compra de um correlacionador, mas desistiu. Vai comprar só em 2015.

Falando em grampos

Logo após a desastrada Operação Apocalipse, o Ministério Público de Rondônia requisitou, oficialmente, todos os logs de escutas telefônicas, autorizadas pela justiça que foram feitas pela Polícia Civil de Rondônia, além, é claro, de todos os arquivos de áudio. Foram centenas de horas de gravações, milhares de linhas grampeadas em Rondônia e fora do Estado, e todo o sistema ainda está sendo auditado. Estão sendo feitos cruzamentos entre as autorizações judiciais e os números que foram efetivamente grampeados e o trabalho é lento, mas promete.

Outro

Que também vem dando trabalho, ainda, é a folha de pagamento do Estado. O Ministério Público descobriu no final do ano passado que até PELÉ E MARTA ROCHA estavam na folha da SEAD. O descontrole era tão grande que tinha gente recebendo salários de R$ 190 mil. Investigações preliminares conseguiram economizaar uma pequena fortuna mensalmente para os combalidos cofres rondonienses, mas teve gente que ficou rica com o esquema. Teve até quem comprou fazenda e camionete com o dinheiro da folha.

Sem contar

Os mais de 800 cargos abertos “legalmente” para acomodar apadrinhados de alguns deputados em troca de “governabilidade”, acerto feito ainda no começo do governo e está em pleno vigor.

Manifestando

“O fato de o governador de Rondônia Confúcio Moura (PMDB) ter sido conduzido coercitivamente à Polícia Federal para prestar esclarecimentos, além de sua prisão ter sido solicitada – apesar de indeferida por ora – denota graves indícios de que algo criminoso esteja em andamento no seio do Executivo Estadual”. A frase é de Odacir Soares, que deixou o Senado esta semana (ele é suplente de Cassol, que retornou ao mandato) e completou, “a operação policial que contou com o apoio irrestrito do Ministério Público de Rondônia é uma resposta ao clamor popular, da sociedade que não agüenta mais conviver com a corrupção”.

Bom

Enfim alguém de Brasília se manifestou, mesmo não estando no mandato, ao menos é uma declaração que demonstra indignação com o que vem acontecendo no estado. Para Odacir, “essa trajetória criminosa de políticos e apadrinhados que mancham a história de Rondônia precisa ter fim e cair no esquecimento. Já virou costume a exposição do estado em casos desta natureza. São crimes. Desmandos. Autoridades envolvidas em tudo quanto é ato ímprobo. Uma verdadeira aberração. Tudo isso depõe contra o povo”.

Pé de orelha

Um a um os deputados estaduais estão sendo convidados a tomar um “café da manhã” com o governador nos últimos dias. A ideia é esvaziar ao máximo qualquer possibilidade, por mais remota que seja, de afastamento ou abertura de CPI contra o chefe do Executivo, que está atolado de denúncias e sendo investigado pela Polícia Federal.

“Esquecimento”

O chefe do Executivo vem realizando uma maratona de entrevistas e aparições públicas. A tática é desmentir e minimizar os danos causados pelas investigações da Operação Platéias. Quanto mais fala no assunto, repetindo que “tudo não passou de um mal entendido”, mas os questionamentos vão sendo amenizados. Mas não é bem assim. Tem muita coisa a ser explicada ainda, principalmente o financiamento da campanha de 2014, onde pipocam nomes de empresas e empresários que possuem gordos contratos com o governo.

Além do mais

Pode até ser que ele consiga respirar aliviado neste fim de ano, afinal, semana que vem entra dezembro e a população se volta a festas natalinas e férias de janeiro. Mas…muita água vai rolar daqui para fevereiro.

Interferindo

E o governo vem mexendo pesado na composição da nova Mesa Diretora da Assembleia, que corre o risco de nascer adestrada. Estão sendo costurados acordos para que seja composta uma chapa única, a pretexto de “garantir a governabilidade”. É bom lembrar, não custa nada, que esse tipo de acerto costuma mandar gente para a cadeia aqui em Rondônia. Valter Araújo que o diga.

E para esfriar

O chefe do Executivo deve sair para um breve recesso nos próximos dias, esperando baixar a poeira. Ele deve se reunir nesta sexta-feira com o vice, Aírton Gurgacz para tratar dos detalhes.

Em Machadinho

O presidente da Câmara de Vereadores, Reginaldo Marques Silva (PTB), foi afastado do cargo, por improbidade administrativa, devido ao suposto excesso e desvio de verbas na concessão de diárias. O afastamento foi determinado por liminar, concedida na Justiça ao Ministério Público de Rondônia (MP-RO), que entrou com uma ação civil pública contra o parlamentar. Além do afastamento do cargo de presidente, a Justiça determinou a indisponibilidade de bens de Reginaldo.

Em Ji-Paraná

A promotoria de Justiça convocou os vereadores, um a um, para darem explicações sobre o recebimento excessivo de diárias. A turma por lá “pega pesado” quando o assunto é viagem. Teve um que chegou a receber R$ 5 mil para uma ida a Brasília para ser recebido pelo senador Acir Gurgacz e pelo deputado federal Marcos Rogério, sendo que ambos residem em Ji-Paraná.

Por lá também

Está acontecendo um fato no mínimo, curioso. Trata-se da vereadora Ida Fernandes, que está fazendo tratamento de saúde por conta de uma cirurgia no estômago e  teve que submeter-se a outra intervenção cirúrgica em um hospital de Brasília. Ocorre que com isso, ela já registrou 10 faltas consecutivas e o regimento interno da Casa não permite tal situação, determinando a posse do suplente. A demora pode fazer com que o presidente da Câmara responda por prevaricação.

Para contatos

Fale conosco pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no http://www.facebook.com/painel.politico e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Whatsapp 9248-8911.

Australianos criam soro para reduzir mortalidade de feridos em combate

Cientistas australianos criaram um soro que aumenta as chances de sobrevivência dos soldados gravemente feridos no campo de batalha, anunciou Geoffrey Dobson, da Universidade James Cook. O soro, que utiliza uma droga chamada “adenocaína” (combinação de lidocaína, adenosina e magnésio), aumenta as possibilidades de sobrevivência ao elevar a pressão arterial das vítimas nos primeiros minutos após o ferimento. A pressão dos feridos não deve ser muito elevada nem baixa em demasia para evitar os riscos da perda adicional de sangue, explicou. O tratamento desperta interesse porque a dose de soro necessária para estabilizar a pressão é ínfima e tem efeito em um segundo, afirmou o australiano. O tratamento foi testado em ratos e porcos, segundo os cientistas, que informaram que o exército americano vai realizar testes clínicos.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário