Autoridades estão sendo constrangidas por burocracia excessiva em prédio público. Um procurador foi preso nesta sexta-feira

Olha essa

Na semana passada os vereadores Edwilson Negreiros e Jair Montes estiveram no CPA para uma audiência no DER. Ao chegarem na recepção, Montes apresentou sua CNH e teve a entrada liberada, o vereador Edwilson havia esquecido a carteira no carro, mas tinha cadastro no sistema. Mesmo assim, informando seus dados e aparecendo sua foto, a funcionária da portaria disse que ele não poderia entrar, já que tinha que apresentar seus documentos. Ele começou a questionar e ela ameaçou chamar a segurança.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Neste momento

O Chefe da Casa Civil Emerson Castro chega na recepção e reconhece os vereadores e se atualiza da situação. Ele pede para que a moça libere a entrada do vereador, e ela diz que não, “tenho ordens do governador para só permitir a entrada de quem tem documentos”. Castro então, educadamente explica a moça que ele é Chefe da Casa Civil, e diz que ela pode liberar o acesso, uma vez que o vereador já está cadastrado no sistema, e não fazia nenhum sentido aquela proibição. Ela então insiste em não permitir. Ele telefona então para o Major Gualberto, que é o responsável pela segurança do CPA.

O vereador

Jair Montes, que já estava com o acesso liberado, sobe para a reunião com o diretor do DER, e deixa Castro e Negreiros tentando resolver a situação na recepção. O vereador não tinha como buscar sua carteira porque o motorista o havia deixado no local e tinha ido resolver outras questões. Ficam então na portaria, como dois de paus o vereador e o chefe da Casa Civil aguardando a chegada de Gualberto, que então libera o acesso. O episódio é apenas mais um na longa lista de trapalhadas que estão sendo cometidas no CPA.

Tem mais

Nesta sexta-feira um procurador do Estado foi proibido de sair porque estava sem o cartão de acesso, havia perdido. A catraca não liberava e ele solicitou que a recepcionista o fizesse, o que evidentemente ela não fez, já que o procurador terminou sendo preso. Isso mesmo, após a recusa da moça, ele irritado, disse alguns desaforos. Ela chamou a segurança e um major da PM apareceu. Após mais discussões e empurra-empurra, o procurador foi preso por “desacato a autoridade” e foi dominado por policiais militares, algemado e preso.

Isso é reflexo

De uma administração totalmente desorganizada, que cria mecanismos de controle onde não deveria. Enquanto isso, roubam-se caminhões e tratores do DER sem nenhum tipo de problema. Enquanto isso um bando de servidores fantasmas, apadrinhados, parentes e aderentes sangram a folha de pagamento, sem nenhum tipo de empecilho. Imagens da ação dos policiais que prenderam o procurador estão circulando pelas redes sociais, e podem ser vistas AQUI.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Mudança

O escritório de advocacia de Renato Cavalcante cresceu e agora estão na sociedade os advogados Manoel Matos, Marcelo Maldonado, Luciano Almeida Idalice Oliveira e Vanessa Oliveira. Com isso também aumentaram as áreas de atuação, que agora além de criminal também passa a representar seus clientes nas áreas tributária, administrativa, cível e trabalhista.

Fim de semana

E nada melhor que reunir os amigos para uma confraternização. E se você está pensando nisso, não perca seu tempo e neste sábado dê uma passada na Prime Espaço Gourmet, ali na Jorge Teixeira, 2773 para comprar as melhores peças de carne que você vai ver por essas bandas de Rondon. Vale a visita.

Complicou

Marcos Glika, velho conhecido da Polícia Federal foi preso na Operação Vitória, que também prendeu o ex-vice presidente do Banco do Brasil esta semana. Glika havia sido preso em Rondônia em 2004, com diamantes avaliados em cerca de R$ 16 milhões. Na época ele disse que estava atuando em nome do então governador Ivo Cassol, hoje senador. Não se sabe bem como esse caso esfriou e foi um rolo daqueles bem grandes, com direito a acusações inclusive dos índios Cinta Larga. Com a nova prisão de Glika o caso veio á tona e vai dar dor de cabeça, de novo, ao italiano, que quer qualquer coisa nessa altura do campeonato, menos ser lembrado pela imprensa nacional. Mas não deu. O assunto foi parar no Estadão de São Paulo.

E a mula?

Um enfermeiro que fez o atendimento da mula que chegou com a pata quebrada em um hospital público de Colorado do Oeste declarou nesta sexta-feira que atendeu o bicho porque estava com dó do animal e não queria que ele fosse sacrificado. Segundo o enfermeiro, o atendimento foi feito utilizando um aparelho de raio-x móvel e não estava sendo usado por ninguém no momento. O caso foi parar nas páginas da Folha de São Paulo e também está dando dor de cabeça do prefeito ao enfermeiro. Já a mula, que não é uma mula e sim um potro, passa bem, obrigado.

Reforma

Bateu no Senado e embaçou a história do mandato de 5 anos para todo mundo. A Casa quer 8 anos para senadores e 6 anos para presidente, sem reeleição. Claro que esse assunto vai render durante a próxima semana e está longe de um consenso. Coisas do Brasil que ninguém entende.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]O mesmo

Podemos dizer da questão da maioridade penal. O clima esquenta quando esse assunto vem á tona e promete confusão no Congresso também nos próximos dias. A proposta mais debatida é a do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin que propõe aumentar o tempo de internação de casos mais graves, estendendo-se à vida adulta. Também está longe do consenso.

Por aqui

A assembleia legislativa vem promovendo uma série de audiências públicas e é bom a população participar. Um dos temas que mais vem sendo discutidos é a segurança pública, de longe o maior problema do Estado. Mas questões como saúde e custo de energia também já foram debatidos, e é importante a participação da população.

Para contatos

Fale conosco pelos telefones (69) 3225-9979 ou 9363-1909. Também estamos no www.painelpolitico.com e www.facebook.com/painel.politico e no Twitter (@painelpolitico). Caso prefira, envie correspondência para Rua da Platina, 4326, Conjunto Marechal Rondon. Whatsapp 9248-8911.

Nozes protegem contra morte prematura, diz estudo

Se você tem o hábito de comer metade de um punhado de nozes a cada dia, pode estar reduzindo de modo significativo o risco de morrer prematuramente, segundo um estudo feito na Holanda. Pesquisas anteriores já tinham estabelecido uma relação do consumo de nozes com a boa saúde cardiovascular, mas esta é a primeira vez que foram estudadas nozes específicas e seus efeitos no desenvolvimento de determinadas doenças. Após dez anos de pesquisa, os cientistas da universidade de Maastricht concluíram que as pessoas que consumiram diariamente pelo menos 10 gramas de nozes ou amendoim tiveram 23% menos risco de morte. Entretanto, o estudo concluiu também que o consumo de pasta de amendoim (peanut butter) não traz nenhum benefício por conter níveis elevados de sal e de gordura trans. O estudo analisou dados sobre a dieta alimentar e o estilo de vida fornecidos por 120 mil homens e mulheres holandeses de idades que variavam de 55 a 69 anos. Dez anos depois, os cientistas analisaram o índice de mortalidade do grupo. Piet van den Brandt, líder do estudo publicado no International Journal of Epidemiology, disse que foi “impressionante notar uma redução significativa da mortalidade mesmo entre os que consumiam diariamente uma média de 15 gramas de nozes e amendoim.” Os pesquisadores acrescentam que o estudo levou em conta o fato de que normalmente os consumidores de nozes são também consumidores de frutas, verduras e legumes, e que as mulheres que têm hábito de comer nozes são geralmente mais magras. Segundo van den Brandt, os resultados foram ajustados de modo a refletir essa realidade.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário