Condução de vice do DEM pela PF complica candidatura do PMDB

Pastor Severino (DEM) foi alvo da operação Matreiro em agosto desse ano

Brasília –  Severino dos Ramos Marcelino da Silva, ou Pastor Severino (DEM) foi indicado como vice na chapa de Williames Pimentel (PMDB) e apesar de ser um ilustre desconhecido, não afetava a campanha peemedebista, que já enfrentava problemas para decolar. E se já estava difícil, ficou ainda mais complicado com a revelação feita por PAINEL POLÍTICO na manhã desta segunda-feira que descobriu um mandado de condução coercitiva determinado pela Justiça Federal e cumprido pela PF na Operação Matreiro, um desdobramento da Kamikaze II, responsável por investigar fraudes em licitações com a União.

Rumores sobre a condução de Severino circulavam desde então, mas nada era confirmado. O que se sabe até o momento é que ele foi acusado de envolvimento no esquema, e usaria um laranja nas operações em uma empresa de fachada.

Indicado pelo DEMOCRATAS, o partido não se manifestou sobre o episódio. Procurado por PAINEL POLÍTICO, o presidente do DEM em Rondônia, deputado federal Marcos Rogério não respondeu às mensagens.

Severino, que já não era conhecido como político, começou muito mal sua carreira. E se ser suspeito em operações de fraudes for pré-requisito para a política, ele já teve sua estréia. Resta saber como o PMDB e o DEM vão explicar essa situação. Até agora, o silêncio é retumbante.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário