Confúcio, extingue a Setur, ela não vai fazer falta e ainda vai sobrar uma grana no caixa

Maior ação da secretaria foi transformar, por decreto, pirarucu em prato regional

Assim como a agricultura e a pecuária, o setor de turismo de Rondônia é uma enganação. A pasta que sempre foi ocupada por figuras boas de conversa e ruim de ação, se transformou em um puxadinho de conversa mole. A maior realização do atual gestor foi transformar, por decreto, o pirarucu em no “prato oficial de Porto Velho”, e agora está promovendo uma exposição fotográfica mostrando “o potencial turístico de Rondônia”.

A Setur seria  mais útil se estivesse ajudando essas regiões a desenvolver esse potencial. Mas o que temos é o retrato do abandono. O Forte Príncipe da Beira está aos pedaços e só não desmoronou porque o Exército mantém a limpeza e manutenção. Guajará-Mirim, outrora uma das cidades mais visitadas do Estado encontra-se com a rede turística parada no tempo. E esse cenário se repete em todas as regiões com “potencial”.

Alguém precisa explicar ao secretário pavão que até os bagres do Madeira sabem que Rondônia tem potencial. E os mesmos bagres também sabem que só isso não basta. Confúcio, faz alguma coisa, exonera a Setur inteira, ao menos teremos uma economia salarial e de diárias…

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário