Desemprego cresce e bate recorde: 13,5 milhões de pessoas

Taxa de desocupação ficou em 13,2% no trimestre encerrado em fevereiro, 3% a mais que no mesmo período do ano passado.

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 13,2% no trimestre encerrado em fevereiro deste ano. O dado consta da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira (31/3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em igual período de 2016, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 10,2%. No trimestre encerrado em janeiro de 2017, o resultado ficou em 12,6%.

Em um ano, o país perdeu 1,78 milhão de postos de trabalho, sendo 1,13 milhão com carteira assinada. No mesmo período, a população desempregada aumentou em 3,17 milhões e a população inativa cresceu em 730 mil pessoas.

O comércio cortou 193 mil vagas, a indústria teve queda de 511 mil postos de trabalho e a agricultura demitiu 702 mil empregados em um ano. A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.068 no trimestre até fevereiro. O resultado representa estabilidade em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 180,2 bilhões no trimestre até fevereiro, estável ante igual período do ano anterior.

Desde janeiro de 2014, o IBGE passou a divulgar a taxa de desocupação em bases trimestrais para todo o território nacional. A pesquisa substituiu a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), que abrangia apenas as seis principais regiões metropolitanas, e também a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) anual, que produzia informações referentes somente ao mês de setembro de cada ano.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário