Diretor de clínica diz que Fhemeron joga sangue fora

Durante audiência pública para debater o fornecimento de hemocomponentes e hemoderivados em clínicas e hospitais em Rondônia, na tarde desta segunda- feira (29), na Assembleia Legislativa, o diretor administrativo da Clínica da Criança, em Ariquemes, Fabiano Vilela, disse que, quando necessário, a clínica compra de 20 a 30ml de sangue e a bolsa contém 500ml, por isso ele questiona para onde vai o restante do sangue.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Segundo ele, a equipe técnica da Fhemeron informou que o sangue restante é jogado fora. Outro ponto questionado pelo empresário foi o recebimento de boletos da Fundação de Hemoterapia de Rondônia, cobrando o valor integral da bolsa de sangue, além de efetuar cobrança retroativa.

Fabiano Vilela questionou, ainda, que o boleto de cobrança foi enviado sem nota fiscal e como é uma empresa, é extremamente necessário o documento. Ao encerrar, frisou que esse processo é uma comercialização e não tem como fugir desse rótulo.

Donos de hospitais criticam cobrança de taxa da Fhemeron

O representante dos proprietários de hospitais particulares de Rondônia, Viriato Moura, retrucou o presidente da Fhemeron, Orlando José Ramires, que havia dito que a cobrança de taxa pelo fornecimento de sangue não era assunto polêmico. Viriato afirmou que até mesmo os boletos de cobrança são incompletos, dizendo apenas que são reembolsos por insumos hemodiálicos.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]O assunto foi debatido em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa na última segunda-feira. Orlando Ramires tinha dito que os donos de hospitais foram comunicados com antecedência sobre a cobrança a taxa e negou que sangue estivesse sendo comercializado em Rondônia.

Viriato Moura disse que não houve diálogo entre a direção da Fhemeron e a classe médica para que se chegasse a um acordo sobre o assunto.

Segundo ele, em uma reunião para tratar do caso, Orlando Ramires teria se negado a dialogar porque existe uma lei que ampara os atos do instituto. Disse ainda Viriato Moura que, com relação à “desculpa do Fhemeron, de que os pacientes não sofrerão despesas, no final do tratamento ou cirurgia, as despesas, logicamente, são incluídas na conta que será paga”. Salientou ainda Moura que o mais importante é que a opinião pública tenha conhecimento de tudo que está sendo feito e que não quer nenhum favorecimento, mas só que o direito do cidadão de receber vida, seja assegurado. Finalizou assegurando que irá até as últimas instâncias “para que essa ação injusta seja revogada definitivamente”.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 thought on “Diretor de clínica diz que Fhemeron joga sangue fora

  1. Não devemos doar sangue, com tamanha patifaria de um governo sem governo! Será tens problemas ao respeitar aqueles doaram, que um sentimento sublime para dar condição de vida aos que nescessitam de sangue, um dos líquidos mais valiosos. Chega! Não vou doar mais e irei fazer campanha contra a doação,

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: