Doença misteriosa faz moradores de cidade dormirem por dias

Uma doença misteriosa, sem detalhes descobertos, faz com que moradores de uma pequena cidade do Cazaquistão durmam por vários dias seguidos. A primeira pessoa a apresentar a doença começou com a crise de sono em abril de 2010 e, até hoje, os médicos não acharam o motivo exato para o transtorno. A vila é apelidada de “Vale do sono” entre a comunidade vizinha. As informações são do Daily Mail.

Situada no nordeste do Cazaquistão, a cidade de Kalachi tem 14% dos cidadãos afetados. Ao menos 60 pessoas já foram ao hospital nos últimos quatro anos com sintomas da doença misteriosa, tais como tontura, incapacidade de ficar em pé, cansaço e problemas de memória.

Os médicos já descobriram que um líquido no cérebro causa a sonolência, mas ninguém sabe por que tal líquido apareceu no cérebro de centenas de pessoas. Além disso, supostas causas, como doenças por vírus ou infecções bacterianas já foram descartadas. Alguns cientistas também pesquisaram a possibilidade de haver alguns produtos químicos no solo ou na água, porém nada foi encontrado.
Os moradores locais acreditam que o urânio das antigas minas soviéticas pode ser a grande causa do problema, mas os mineradores que trabalhavam no local não foram afetados. No entanto, o Russia Today fez um documentário sobre o mistério da cidade e reportou que foram encontrados níveis radioativos 16 vezes maiores que o esperado da mina fechada.

Outras causas apontadas pelos moradores são o lixo tóxico que vem sendo lançado na cidade, além de fumaças tóxicas pelo urânio do local.

Moradores da cidade têm medo de ficarem doentes e, até mesmo, de não acordarem depois de alguma crise. Segundo alguns doentes, a crise de sono vem “do nada” em intervalos diferentes. E o mistério continua.

Terra

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário