Embaixatriz Lúcia Flecha de Lima morre aos 76 anos no DF

Considerada uma das mais atuantes embaixatrizes do país, Lúcia deixa o marido e quatro filhos. Em Brasília, esteve à frente da Casa do Candango e da Secretaria de Turismo

A embaixatriz Lúcia Flecha de Lima morreu aos 76 anos neste domingo (2) dentro de casa, em Brasília, por conta de um câncer de útero, contra o qual lutava há um ano.

Casada com o ex-embaixador Paulo de Tarso Flecha de Lima por 54 anos, Lúcia tornou-se conhecida nacional e internacionalmente pela forte atuação como embaixatriz nas cidades onde acompanhou o marido, como Paris, Washington, Londres e Roma. Ela deixou o marido e quatro filhos.

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, emitiu nota à imprensa em que diz se solidarizar com o ex-embaixador Paulo Tarso, os filhos e a família.

“Dona Lúcia, como era conhecida por todos, teve trajetória ímpar, como, ao lado de seu marido, no episódio da libertação dos reféns brasileiros de Saddam Hussein. Deixou sua marca de eficiência também nesta cidade, como secretária de Turismo do Distrito Federal e presidente da entidade beneficente Casa do Candango, além de seu trabalho na Comissão de Relações Exteriores do Senado.”

Por meio de uma rede social, o presidente Michel Temer e o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, também lamentaram a morte da embaixatriz.

História

Em meio às viagens diplomáticas e atuações internacionais, Lúcia e o ex-embaixador Paulo de Tarso tiveram cinco filhos – um deles morreu em 2000 – e fizeram amizades com figuras ilustres do cenário político mundial, como o casal Bill e Hillary Clinton e a princesa Diana – de quem Lúcia ficou íntima na década de 1990.

Embaixatriz Lúcia Flecha de Lima e o marido, o ex-embaixador Paulo de Tarso Flecha de Lima (Foto: Reprodução)

Embaixatriz Lúcia Flecha de Lima e o marido, o ex-embaixador Paulo de Tarso Flecha de Lima (Foto: Reprodução)

Com a aposentadoria de Tarso em 2001, após 46 anos de diplomacia, o casal assentou as bases em uma casa no Lago Sul. Em Brasília, a atuação da embaixatriz foi extensa. Durante 15 anos ela presidiu a Casa do Candango – sociedade civil sem fins lucrativos que cuida de crianças e idosos – e esteve à frente da Secretaria de Turismo em 2003, na gestão de Joaquim Roriz.

Amizade com Diana

A amizade de Lúcia com a princesa Diana começou nos primeiros anos da década de 1990, após o marido, Paulo de Tarso, ser nomeado embaixador do Brasil junto à corte de St. James, em Londres. Os laços se estreitaram em 1991, quando o Lúcia e Tarso acompanharam Diara e o príncipe Charles em uma viagem ao Brasil.

A embaixatriz Lúcia Flecha de Lima e a princesa Diana foram amigas na década de 1990 (Foto: Reprodução)

A embaixatriz Lúcia Flecha de Lima e a princesa Diana foram amigas na década de 1990 (Foto: Reprodução)

Durante o processo de divórcio do casal real, em 1996, Lúcia foi a principal confidente de Diana. No ano seguinte, quando a princesa morreu em um acidente de carro, a embaixatriz disse à imprensa que considerava a amiga parte da família.

“Paulo Tarso, meus filhos e eu estamos chocados e inconsoláveis com a trágica morte da princesa Diana. A princesa nos honrou com sua amizade e carinho e foi, ao longo desses anos, uma pessoa maravilhosa e solidária”, afirmou em nota à época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *