Empresa que prestou serviços para FUNCULTURAL funciona em imóvel abandonado

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Porto Velho – A Capital de Rondônia comemorou 100 anos agora em outubro e a prefeitura organizou uma série de eventos e a execução foi feita através de um convênio entre a Fundação Cultural de Porto Velho e a Fundação de Apoio a Pesquisa Ciêntifica, Educacional e Tecnológica de Rondônia, também chamado de Instituto de Pesquisa de Rondônia (IPRO). O convênio foi assinado pelo presidente da Fundação Cultural, Christian Piana Camurça, em 29 de setembro deste ano, e entre outras justificativas no projeto estavam “ccontemplados diversos segmentos artísticos, culturais e históricos, proporcionando lazer e atividades para o enriquecimento cultural de toda a comunidade”.

O valor global do convênio foi de R$ 527 mil e 100, a serem pagos em parcelas quinzenais. Entre as atividades propostas no projeto estavam previstas uma série de ações, tais como lançamento de livros, exposições fotográficas, queima de fogos, shows nacionais e locais e uma programação “diversa durante o mês de outubro, levando arte, cultura e entretenimento ao cidadão portovelhense, de forma gratuita, em praça pública”.

O projeto foi autorizado e assinado por Chistian Camurça e Maria Jacinta Barbosa de Oliveira, chefe da divisão administrativa da Funcultural.. Ambos autorizaram o pagamento. No cronograma do projeto “aniversário de Porto Velho – Centenário da Cidade” estavam previstos a gravação de um filme, show nacional (pago pela Santo Antônio Energia, Gaby Amarantos), realização de grafites, palestras e um ítem que chama a atenção, o mapping. Mas, o que é isso?

Video mapping ou mapeamento de vídeo é uma técnica que consiste na projeção de vídeo em objetos ou superfícies irregulares, tais como estruturas de grandes dimensões, fachadas de edifícios e estátuas (cuja projeção pode ser feita a 360º). Através da utilização de um software especializado os objetos de duas ou três dimensões são formados virtualmente, a partir dessas informações o software interage com um projetor para adaptar qualquer imagem à superfície do objeto escolhido. Pode-se dizer que há uma reconstrução do espaço real existente através da adição de espaço virtual. Com esta técnica os artistas podem criar dimensões extra, ilusões ópticas e noções de movimento em objetos estáticos. Normalmente são criadas narrativas audiovisuais através da combinação ou desencadeamento de vídeo com áudio. O video mapping ficou conhecido através da sua utilização em campanhas publicitárias e vídeos de música eletrónica. No vídeo abaixo, o mapping feito no Mercado Cultural:

 

 

É interessante observar a pequena quantidade de pessoas presente nessas apresentações. Se a idéia era comemorar, faltaram convidados e sobraram despesas. Porque o mapping tem um custo elevado, e requer empresa especializada. Em Porto Velho, algumas possuem o projetor, mas não o software nem os demais equipamentos para a projeção. Para esse serviço, assim como os demais, foram apresentadas cotações de três empresas,  Luamarte (Porto Velho), GabiSom (Ariquemes) e O Beco (Candeias do Jamary) e foi essa empresa que ganhou o contrato, ao valor de R$ 162 mil, para realizar o serviço de “projeção de luz em alta definição e som no prédio do mercado cultural de acordo com o plano de trabalho”.

O mapping custou aos cofres municipais R$ 162 mil, foram três apresentações, em três dias seguidos de apenas 15 minutos cada, com um público médio de 100 a 150 pessoas.

Além disso, chama a atenção o local de funcionamento da empresa “O Beco”. Um grupo de vereadores de Porto Velho resolveu conhecer as instalações e seguiram para o endereço indicado, na rua Violeta, nº 25, em Candeias do Jamari. Chegando lá, eles se depararam com um imóvel vazio, até mesmo sem energia. Eles foram informados por um vizinho que “uma pessoa orientou a dizer que a empresa funcionava ali, caso alguém perguntasse”.

Abaixo o local de funcionamento da empresa O Beco:

Sede da empresa O Beco
Sede da empresa O Beco
Empresa não tem sequer energia
Empresa não tem sequer energia
Sede da empresa O Beco, em Candeias do Jamari
Sede da empresa O Beco, em Candeias do Jamari

Um detalhe também chama a atenção na documentação do IPRO. O endereço da licença de funcionamento expedida pela prefeitura é Rua Duque de Caxias, 1380, bairro Centro. A conta telefônica apresentada pela entidade como comprovação de endereço é Rua Rafael Vaz e Silva, 2220, bairro São Cristovão.

Conta de telefone
Conta de telefone
conta2
Alvará de funcionamento

O custo elevado do convênio, também chamou a atenção dos vereadores, que encaminharam cópia do processo ao Ministério Público. Entre outros questionamentos, está a falta de bom senso por parte do presidente da Funcultural em realizar uma programação que não atingiu o público alvo, as suspeitas sobre as empresas que participaram do evento e a prestação de contas dos gastos Outro ponto importante é que ainda existem famílias acampadas no Parque dos Tanques, que ficaram desabrigadas na enchente do começo do ano e estão desamparadas, enquanto o município gasta dinheiro com festividades para poucos.

 

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

3 thoughts on “Empresa que prestou serviços para FUNCULTURAL funciona em imóvel abandonado

  1. Prezado Colunista.
    Sou Diretor de Produção da empresa O BECO PRODUÇÕES e venho a esclarecer que:
    A empresa O BECO PRODUÇÕES vem atuando desde janeiro de 2012, nos seguimentos artístico e cultural para a iniciativa privada e participando de LICITAÇÕES para executar serviços ao poder público, sendo vencedora de diversos certames, dentre os quais podemos citar ARRAIAL FLOR DO MARACUJÁ 2012 (Maior evento do Governo do Estado e licitado pela SUPEL), a MICAOURO 2013 (maior evento do município de Ouro Preto do Oeste licitado através de Pregão Eletrônico BLL), Festival de Natal Ouro Preto do Oeste 2013 (Pregão Eletrônico BLL), Reveillon 2014 Ouro Preto do Oeste (Pregão eletrônico BLL), Governo Perto de Você – Guajará Mirim (SUPEL), dentre outros, sendo que todos os eventos foram executados a contento, tendo sido atestado pelos contratantes como serviços de excelente qualidade.
    Ocorre que estamos passando por reformas na SEDE PRÓPRIA da empresa, o que pode ser constatado nas próprias fotos publicadas, e dentre as reformas programadas está a SUBSTITUIÇÃO DE PADRÃO DE ENERGIA CONFORME EXIGÊNCIA DA ELETROBRAS, o que nos fez com que solicitássemos a retirada do relógio para podermos efetuar a obra.
    Vale ressaltar também que, em virtude do volume dos equipamentos de sonorização, iluminação, tablados, palco, back-line, etc., os mesmos encontram-se armazenados em um depósito alugado acerca de 500m da sede, no próprio município de Candeias do Jamari, informação essa não veiculada na matéria.
    Também tenho a informar que o Vídeo Mapping apresentado em 06 SESSÕES DIÁRIAS no Mercado Cultural, fora cobrado abaixo dos valores de mercado, sendo MENOS DA METADE DO PREÇO PAGO NO ANO DE 2011 QUANDO DA REALIZAÇÃO NO MESMO LOCAL EM QUANTIDADES INFERIORES DE APRESENTAÇÕES. NAQUELA OCASIÃO O VALOR PAGO FOI EM TORNO DE R$ 350.000, OU SEJA MAIS QUE O DOBRO DO COBRADO POR NOSSA EMPRESA.
    Também gostaria de esclarecer que TODOS OS VALORES COTADOS PELA EMPRESA ESTÃO DENTRO DOS VALORES DE MERCADO cobrados por empresas que MANTÉM SUA REGULARIDADE FISCAL, EMITEM NOTA, PAGAM TRIBUTOS, EXECUTAM OS SERVIÇOS COM RECURSOS PRÓPRIOS E AGUARDAM UM DIA RECEBER O PAGAMENTO.
    Caso não seja do Vosso conhecimento, O Beco Produções promove e patrocina Comitivas Sertanejas das Cavalgadas de Candeias do Jamari, bem como promove festas na sede e nos distritos de Candeias, patrocina e/ou subsidia Grupos teatrais em Porto Velho, doa serviços de sonorização para eventos beneficentes em Candeias e Porto Velho, bem como assessora artistas na elaboração de projetos para a Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet),. funções estas que são possíveis graças a nossa credibilidade e ao respeito conquistado até agora através de nossos serviços.
    É uma pena ver nossa credibilidade ser manchada pela matéria a qual V. Senhoria publica sem expressar a verdade.
    Esperamos receber de forma amigável o mesmo espaço e destaque para nosso esclarecimento e nos colocamos a disposição desta coluna, dos órgãos fiscalizadores e quem mais interessar para apresentar nossa documentação, nossos equipamentos, nossos atestados de capacidade técnica EMITIDOS POR PREFEITURAS, GOVERNO DO ESTADO E ENTIDADES PRIVADAS.

    ATENCIOSAMENTE

    OSCAR SILVEIRA
    DIRETOR DE PRODUÇÃO
    DRT637-RO
    [email protected]

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: