Entidade esquerdista defende bandidos mortos em Buritis e acusa a PM/RO de “assassinar delinquentes pobres”

Sobrou também para o governador Confúcio Moura, chamado de fascista; para o comandante geral da PM, acusado de estar a serviço dos latifundiários, e até para a “imprensa burguesa”.

A morte de quatro bandidos durante troca de tiros com a polícia, nesta quinta-feira ,em Buritis, interior de Rondônia, gerou alívio na população do Vale do Jamari e profunda revolta numa tal de Liga Operária, movimento auto-proclamado de esquerda que saiu em defesa dos mortos e acusou a polícia rondoniense de tê-los assassinados e depois desfilado com os corpos.

Nesta sexta-feira, a polícia identificou três dos quatro homens mortos na troca de tiros nessa quinta. São eles: Acácio Fabricio da Silva, 38 anos, Jader Oliveira Gomes, 28 anos , e Francisco da Silva Freitas, 30 anos.

Eles foram apontados como autores de vários crimes no interior do Estado. Jader esteve envolvido no roubo a agências dos Correios, de onde foi levado o revoóver de um policial, de acordo com o delegado Lucas Torres Ribeiro.

Segundo a Polícia, os criminosos realizaram pelo menos quatro roubos em comércios, levando dinheiro, joias, relógios e uma moto. Os bandidos impuseram o terror no Vale do Jamari.

A LIGA OPERÁRIA

Segundo a Wikipédia, “a Liga Operária e Camponesa (LOC) é uma organização política brasileira tida como guerrilheira. Sua base ideológica é o que ela chama de “marxismo-leninismo-maoísmo”.

Ainda de acordo com a enciclopédia livre, a LOC se notabilizou, em 1999, à frente de um grupo de sem-casas contra a Polícia Militar, em uma área ocupada em Betim-MG. A LOC criou uma ONG para arrecadar dinheiro para a guerrilha, o Instituto de Educação do Trabalhador (IET), entidade que recebeu R$ 9,96 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) no período de 1996a 1999. Os ideólogos da LOC são: Marx, Lenin, Stálin, Mao Tsé-Tung, Abimael Guzmán (Sendero Luminoso)

Desde seu segundo Congresso a LOC tem atuado na clandestinidade, sabe-se que tem uma forte influência dentro dos Sindicatos que atuam a margem do governo, sendo que em Minas constitui uma organização chamada Liga Operária, além da Liga dos Camponeses Pobres que têm braços espalhados em várias partes do país.

Nesta sexta, a Liga Operária divulgou um manifesto condenando a ação da polícia na morte dos bandidos de Buritis que praticaram diversos assaltos violentos na região, levando o terror aos moradores do Vale do Jamari.

Conforme a nota divulgada pela Liga, a morte dos marginais não passou e assassinato, fato que, segundo a entidade, mostra que Rondônia é um estado fascista. Em sua nota, a liga critica o governador Confúcio Moura (PMDB) e o comandante geral da PM, Coronel Enedy Dias. Sobrou até para a imprensa, que divulgou a ação da polícia. Os sites foram acusados de exultarem e exaltarem os “assassinatos sumários de supostos delinquentes pobres”.

 

Fonte:  Tudorondonia

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário