O autoproclamado Estado Islâmico decretou uma jihad, ou guerra santa muçulmana, contra a Rússia e Estados Unidos. No espaço de uma semana, tornou-se no segundo grande grupo extremista na Síria a ameaçar Moscow pela sua campanha aérea a favor de Bashar al-Assad.

“A Rússia será derrotada”, disse um dos porta-vozes do grupo extremista, numa mensagem áudio publicada nesta quarta-feira. Nela, Abu Mohamed al-Adnani apela a que “muçulmanos por toda a parte lancem uma jihad contra os russos e americanos”, responsáveis, segundo ele, por uma “guerra de cruzada contra os muçulmanos”.

Há muito que os Estados Unidos são referência habitual nas ameaças do grupo extremista, mas esta é a primeira vez em que a Rússia é expressamente visada. Moscow começou a bombardear posições de grupos insurgentes na Síria no dia 30 de Setembro, a pedido do Presidente sírio e sob o pretexto de atacar o Estado Islâmico.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário