Ex-marido de estudante desaparecida pede perdão para mãe da vítima, mas não conta o que aconteceu

PM está preso e quase um mês depois, jovem segue desaparecida no Paraná

A mãe de Andriely Gonçalves da Silva, de 22 anos, desaparecida há quase um mês, disse que o ex-marido da filha apenas chorou e pediu perdão, durante uma visita que aconteceu nesta quinta-feira (31), feriado de Corpus Christi. Cleusa Gonçalves foi até o local onde o ex-genro, que é policial militar e principal suspeito pelo sumiço da garota, está preso e disse que não acreditou nas palavras do soldado Diogo Coelho Costa. “Como que vai acreditar em uma pessoa que pega a outra e diz que deixou em uma BR, como ele disse que levou, e deixou ela lá sozinha?”, indaga.

A mãe da jovem visitou o ex-marido da filha com uma foto dela estampada na camiseta. “Mostrei a camiseta dela que eu estava usando, perguntando se ele não sentia falta, ele só chorava e dizia que era para eu perdoar ele, que se pudesse também iria ajudar a encontrar”,  disse a mãe.

Durante essa semana, Cleuza fez a coleta de sangue para o exame de DNA que vai analisar a mancha encontrada no veículo do ex-marido da jovem. Segundo ela, Diogo chorou bastante durante o encontro. “Ele veio até mim, chorou muito, só disse também que não sabia onde ela estava. Eu perguntei, perguntei, perguntei onde ela estava e ele disse que não poderia fazer nada porque estava preso. Disse que também queria encontrá-la”, lembrou.

No entanto, a mãe de Andriely aparenta não ter se comovido com o choro do ex-genro. “Eu acreditei, desacreditando. Fico pensando, uma pessoa que pega a outra e diz que deixou em uma BR, como ele disse que levou, e deixou ela lá sozinha e abandonada? Ele disse que levou ela em uma BR e deixou para que ela fosse embora para são Paulo como ela queria?”, questiona, durante a entrevista.

Prestes a completar um mês do desaparecimento da filha, Cleuza já fez diversos apelos, mas não vê novidades significativas no caso. “Eu já fiz apelo para comandante, para secretário de segurança, para deputado e todo mundo e até agora não tive resposta nenhuma. Vejo que está tudo parado, que ninguém está fazendo nada”, finalizou.

Versão

Na semana passada, a defesa do ex-marido de Andriely, principal suspeito de envolvimento no caso, quebrou o silêncio e afirmou que ele é inocente. Sobre o sangue encontrado no veículo, o advogado Luiz Goldman disse que se trata de menstruação da jovem, já que ela teria endometriose e sofreria de sangramentos muito intensos no período menstrual.

A mãe da estudante de Direito achou a alegação da defesa um absurdo. “Eu fiquei pensando, como que ela sairia do carro dele toda suja de sangue de menstruação, como eles estão dizendo, e pediria para ficar em um ponto de ônibus? Ainda mais do jeito que ela era, vaidosa e envergonhada? Ela não ia pedir ajuda nem nada? Isso é um absurdo”, completou.

Prisão

O soldado da PM está preso desde o último dia 19. A prisão dele é temporária e válida por 30 dias. A partir das investigações, a Polícia Civil pode pedir à Justiça a prorrogação do prazo ou a conversão para prisão preventiva.

BandaB

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário