Ex-prefeito da capital é hostilizado ao pedir votos

Inércia

A nota publicada na imprensa da Vara de Execuções Penais revela a falta de uma política estadual coerente para a questão carcerária. Pelo texto podemos deduzir que, diante à inércia do governo, os presos não poderão remir suas penas porque o estado não cumpre sua parte em dotar as unidades de condições de oferecer trabalho e estudos, conforme prescreve a Lei de Execução. Querem que o juiz da VEP conceda a progressão ou remição de forma ‘ficta’, ou seja, faça de conta que o apenado trabalhou ou estudou, embora esteja vivendo na unidade em pleno ócio.

Indústrias

Já são vários os estados onde os apenados são obrigados a trabalhar para produzir e custear algumas das despesas com a internação. Transformar presídios em unidades que produzem é a melhor forma de reinserir ao convívio social quem delinquiu. As autoridades sabem disso, mas não resolvem o problema porque é uma área que somente chama atenção quando ocorrem cenas de barbárie. E não rende votos.

Tranquilidade

O colunista político Claudio Humberto escreveu na coluna Diário do Poder, desta segunda-feira (8), que Expedito Junior (PSDB) está entre os tucanos bem postados nas pesquisas oficialmente divulgadas. Além dele, Cássio Cunha Lima (PB) e Marconi Perillo (GO), estão tranquilos com a campanha eleitoral.

Sujos

Um vídeo manipulado com uma edição falsa com Junior supostamente pedindo votos para seu concorrente Confúcio, que está sendo compartilhado pelo WhatsApp e Face, demonstra o quanto os aloprados governistas escondidos pelo anonimato tentam confundir o eleitor de forma venal. A montagem é criminosa porque foi retirada de uma declaração dada no segundo turno das eleições de 2010 quando Confúcio foi buscar exatamente o apoio de Expedito para conseguir derrotar Caula. Os aloprados esquecem que o candidato ‘chapa branca’ é um dos signatários de uma carta na OAB-RO prometendo fazer campanha limpa e ética. Aliás, não passou despercebida a patomima feita pelo candidato erguendo a mão direita e jurando solenemente cumprir com o compromisso. Mas a sujeira ficou por conta dos aloprados.

Prenha

Nos bastidores políticos vazou a informação de que um instituto de pesquisa famoso por “errar” seus prognósticos está prestes a colher novos dados por aqui. É possível que “erre” mais uma vez por utilizar amostras inadequadas às regras estabelecidas. Um senhorita que fala pelo instituto trocou telefonemas com figurões locais. Quando os números são absurdamente errados o efeito é contrário. A ver!

Saques

Em tempos de campanha eleitoral todo cuidado com a fiscalização é pouco. As movimentações financeiras vultosas nesta época podem indicar malfeitos políticos. É necessário os órgãos de controle redobrarem a fiscalização nos saques das empresas, em particular as que possuem contratos públicos. Recursos não contabilizados podem estar irrigando ilegalmente campanhas milionárias que saltam aos olhos do eleitor. Olho vivo.

Sinal

A reação das campanhas de Dilma Rousseff e Aécio Neves para conter o tusinami eleitoral de Marina Silva pode ter surtido algum efeito. As pesquisas que estão para ser divulgadas indicam que a ambientalista parou de causar estragos nas campanhas dos adversários. Resta saber qual influência causada pela sujeira do petróleo na campanha petista após a delação premiada feita pela língua lubrificada de malfeitos de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.

Hostilidade

Um ex-prefeito de Porto Velho foi enxotado literalmente do bairro Marcos Freire ao pedir votos na Zona Leste da capital. Ele foi recebido com hostilidade por populares que demonstraram revolta com as obras inacabadas da capital.

Predador

Os candidatos a deputado federal ligados à coligação capitaneada pelo PMDB estão irritados com o volume de campanha de Lúcio Mosquini. Creditam ao ex-diretor do DER uma campanha predatória que avança sobre os seus colégios eleitorais e cabos eleitorais. A campanha de Mosquini é arrojada e abastada.

Abandono

É impressionante a forma sórdida pela qual nossas autoridades tratam as pessoas sobretudo a mais humildes que necessitam de apoio do poder público. Os desabrigados do baixo madeira foram abandonados pela executivo municipal e estadual, embora tenham prometido assisti-los. Ninguém fala nada sobre a compra dos terrenos prometidos para erguer um novo distrito. Estamos ameaçados de novas enchentes sem que nenhuma ação preventiva seja tomada.

Diagnóstico

Depois de três meses no cargo é que o Comandante da Polícia Militar de Rondônia declara possuir um diagóstico da criminalidade que assola nosso estado. As propostas apresentadas são tão singulares que nem merecem comentários. Pelo que deduzimos restará a população ficar atenta aos delinquentes e a muncipalidade criar um pilotão para minizar os índices da violência. Ainda tem autoridade confusa por aí que diz que estamos no rumo certo. É melhor gritar: socorrrrrooooooooooooooo!

Erupção

Mais cedo do que tarde vai estourar aí uma confusão que abalará os pilares estaduais da política, dos empresários e de gente que se acha acima de qualquer suspeita. Pena que não ocorrerá nos próximos dias para que a população pudessem visualizar os santo de pau oco que se apresentam por aí como se fanciscanos fossem. Quem viver verá!

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário