Fazenda segue invadida por braço armado do MST em Rondônia

BR-429 é liberada após PM reforçar área de fazenda invadida pela LCP

Dois dias após bloquearem a BR-429, produtores rurais e fazendeiros de Seringueiras (RO) decidiram liberar a rodovia no final da tarde de quarta-feira (17). De acordo com integrantes do “Movimento Todos Pela BR-429”, o protesto chegou ao fim depois do governo de Rondônia atender um dos pedidos dos manifestantes, que era reforçar o policialmente na fazenda Bom Futuro,invadida pelo movimento que se intitula Liga dos Camponeses Pobres (LCP), braço armado e radical dissidente do MST, há um mês, em Seringueiras. A reintegração de posse ainda não foi cumprida.

A BR-429 foi fechada na última segunda-feira (15), em uma ponte de São Miguel do Guaporé (RO), quando os produtores exigiam do governo que cumprisse a reintegração de posse e reforçasse o policiamento na Fazenda Bom Futuro. Segundo um dos representantes, que prefere não se identificar,  o governo atendeu umas das reivindicações.

“Nós abrimos o bloqueio no final na tarde, visto que fomos atendidos em relação ao isolamento do local. Foram montados pontos estratégicos da Polícia Militar para evitar a entrada novos camponeses e também alertar a população vizinha da gravidade da situação”, explica o manifestante.

A Polícia Militar (PM) já tinha algumas barreiras no local em todas as áreas que davam acesso à fazenda. De acordo com o comandante da Polícia Militar, Oziel Paradela, agora houve um acréscimo de duas novas barreiras, uma na Linha 22C, de difícil acesso, e outra barreira fluvial, para impedir que cheguem à propriedade pelo Rio São Miguel.

Segundo o comandante, para que fossem montadas essas novas barreiras houve um reforço no policiamento. “Estávamos com aproximadamente 45 policiais e agora temos mais 20 militares reforçando. Assim, nós conseguimos fechar todas as entradas possíveis”, explica o comandante.

Reintegração

A reintegração da fazenda Bom Futuro foi assinada há quase de dez dias pelo juiz Jorge Luiz dos Santos Leal. A Polícia Militar foi noticiada e realizou os estudos da área para saber como deve acontecer a ação para a retirada do grupo da fazenda que devem ser levados pelo menos a 300 quilômetros de distância da área invadida. Segundo o comandante Paradela, o estudo já foi finalizado. “Nós já concluímos o planejamento e vamos entrega-lo às autoridades ainda nesta quinta-feira (18)”, afirma.

Invasão

Conforme informações da polícia, dois ônibus lotados estacionaram na entrada da fazenda Bom Futuro no dia 17 de julho. Seis homens armados desceram e caminharam em direção à propriedade, onde fizeram o dono da fazenda e um funcionário refém. Outro funcionário percebeu a movimentação e conseguiu se esconder na pastagem e ligar para a Polícia Militar (PM).

Os reféns foram mantidos amarrados e encapuzados. Horas depois foram obrigados a deixar a fazenda. Além dos ônibus, diversos veículos de passeio foram vistos adentrando a fazenda após a invasão.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário