Fundador da Mancha Verde foi morto por assaltante que queria ser diretor da torcida

Segundo as investigações, Marcelo Ventola, o Marcelinho, discutiu com Moacir Bianchi no dia do crime. Para polícia, o suspeito atirou na vítima durante a emboscada

Um dos suspeitos de matar o fundador da Mancha Verde em uma emboscada já cumpriu pena por assalto a banco, informou o SPTV. Moacir Bianchi, de 48 anos, foi encontrado morto na madrugada do dia 2 em seu carro no bairro do Ipiranga, Zona Sul de São Paulo. Ele levou 22 tiros, segundo o boletim de ocorrência.

As testemunhas ouvidas nos últimos dez dias pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) mostraram que três pessoas participaram do assassinato: uma estava num táxi que parou em frente ao carro da vítima (e ainda não foi identificada); as outras duas vieram logo atrás, num carro preto. Uma delas era Marcelo Ventola, o Marcelinho. Segundo a investigação, ele desceu do carro e disparou em Bianchi.

Marcelinho já esteve preso e cumpriu pena por assalto a banco. A Justiça decretou a prisão temporária dele e de um outro suspeito.

Moacir Bianchi foi encontrado morto com 22 perfurações de bala no carro que dirigia na Avenida Presidente Wilson (Foto: Edison Temoteo/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Moacir Bianchi foi encontrado morto com 22 perfurações de bala no carro que dirigia na Avenida Presidente Wilson (Foto: Edison Temoteo/Futura Press/Estadão Conteúdo)

A motivação do assassinato seria a disputa pela composição da nova diretoria da organizada do Palmeiras, que atualmente chama-se Mancha Alviverde. O atirador, que não está no cadastro dos associados da Mancha, queria ser um dos diretores. Mas na reunião, ocorrida na noite de 1º de março, disse que, como fundador, não ia permitir que ele assumisse o cargo.

Depois da reunião tensa, Moacir foi embora. A polícia sabe o caminho que ele fez. De Perdizes, na Zona Oeste, ele passou pela Rua da Consolação e parou numa boate onde prestava serviço.

Perto de meia-noite, Moacir saiu com o carro e entrou na Avenida Presidente Wilson. Era o caminho de casa. Foi ali que sofreu a emboscada.

No fim de semana, a polícia cumpriu mandados de busca e apreensão em cinco endereços na Grande São Paulo. Marcelinho e o outro suspeito conseguiram fugir. Nesta terça (14), a polícia deve ouvir um dos diretores da Mancha.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário