Golpistas usam nome do Ministério Público Federal para solicitar pagamento de R$ 5,2 mil
MPF 

O Ministério Público Federal em Itapeva (SP) investiga uma tentativa de golpe virtual com uso do nome da instituição para arrecadação de dinheiro. Segundo o órgão, criminosos estão enviando por e-mail um pedido de pagamento de R$ 5,2 mil para assinatura anual de uma suposta revista jurídica. A mensagem é assinada por uma pessoa que se identifica como representante do MPF e de um órgão de classe que sequer existe.

De acordo com o Ministério Público, o pedido de dinheiro se refere à revista intitulada “Ação Tributária”, e a nota fiscal para pagamento é emitida em nome de uma editora cujos registros indicam pertencer a duas pessoas que já têm antecedentes criminais. A sede da empresa está situada no centro da capital paulista, assim como a agência bancária informada para o depósito da quantia.

Ainda segundo o órgão, um dos alvos da fraude foi a cidade de Barra do Chapéu (SP). Após receber a mensagem, originada de um endereço com domínio hotmail, a prefeitura do município relatou o caso ao MPF, que iniciou a investigação em caráter de urgência.

De acordo com o procurador da República Ricardo Tadeu Sampaio, titular do procedimento instaurado para investigar a prática de estelionato virtual, uma série de providências para que os autores do golpe sejam identificados foram determinadas.

“O MPF não solicita contribuições financeiras de nenhuma natureza pelo oferecimento de produtos e serviços. Esses e-mails são falsos, e vamos identificar sua origem para que os responsáveis sejam punidos”, esclareceu o procurador.

Ainda segundo o procurador, ao receber um e-mail desse tipo, os cidadãos podem procurar o MPF para registrar uma denúncia. Além das unidades físicas do Ministério Público Federal em todo o país, as pessoas têm a opção de acessar o site para relatar o problema e solicitar a apuração.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário