Investigadores dizem que Collor parou de pagar as prestações da Lamborghini por causa da Lava Jato.

Os investigadores disseram que as tais prestações deixaram de ser pagas assim que a Operação Lava Jato começou.

Interpretação deles: a fonte da propina secou, aí não tinha mais como pagar. Se bem que a fonte era bem generosa: o senador Fernando Collor teria recebido em cinco anos, cerca de R$ 26 milhões.

Sabe aquela Lamborghini de R$ 3 milhões que foi apreendido pela Polícia Federal na casa do senador Fernando Collor? Pois é, Collor pediu à Justiça o carro de volta.

O pedido, encaminhado ao Supremo Tribunal Federal, ainda vai ser julgado. Mas o Ministério Público Federal já se manifestou: é contra a devolução do carro. Primeiro porque o Lamborghini não está em nome de Fernando Collor. E sim no de uma empresa. Collor teria que ter explicado porque se considera o proprietário do veículo, e não fez isso.

E mais: investigadores afirmam que as prestações do financiamento do carro estão atrasadas. O pagamento teria sido interrompido depois do início da Lava Jato. E o banco já até entrou com um processo para tomar o veículo de volta. O objetivo agora é descobrir se o carro foi comprado com dinheiro desviado da Petrobras.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário