Jornalista gaúcho é encontrado morto dentro de seu apartamento, em Porto Alegre

Tagliene tinha ferimentos no rosto e na cabeça, e o apartamento estava todo revirado.

O jornalista Tagliene Padilha da Cruz, de 33 anos, foi encontrado morto, por volta das 21h desta segunda-feira, em seu apartamento na Avenida João Pessoa, no bairro Azenha, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Tagliene tinha ferimentos no rosto e na cabeça, e o apartamento estava todo revirado.

A delegada Roberta Bertoldo, titular da 2ª Delegacia de Homicídios do Rio Grande do Sul, disse que vai começar a ouvir amigos do jornalista antes de definir a linha de investigação para saber se Tagliene foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) ou homicídio.

Segundo a delegada, duas amigas do jornalista disseram que estavam sem ver Tagliene desde domingo. Elas resolveram seguir para o apartamento, que estava trancado. Depois de entrar no imóvel com uma chave reserva, as duas acharam o corpo envolto em cobertores.

— Uma amiga disse apenas que deu falta de um notebook e um aparelho celular. A investigação está sendo iniciada e vou começar a ouvir os amigos — disse a delegada Roberta Bertoldo.

Tagliene era assessor de imprensa e trabalhava em uma agência que presta assessoria à Federasul. Segundo os amigos do jornalista, Tagliene era de Bagé, cidade que fica a 374 quilômetros da capital.

Fonte: extra.globo

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *