Jovem morto em aeroporto teria caso com namorada de criminoso

No momento dos disparos, o saguão estava cheio de jornalistas e torcedores do Grêmio que aguardavam o desembarque de Renato Gaúcho

O caso de Marlon Roldão, assassinado na manhã dessa segunda-feira (19) no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), começa a se desenrolar. A polícia suspeita que o rapaz tenha se relacionado com a namorada de um integrante de uma facção criminosa, o que motivou a ação.

O jovem foi baleado no Terminal 2 do aeroporto no dia em que completava 18 anos. Câmeras de segurança flagraram a ação dos dois assassinos. Eles estavam sentados em uma lanchonete, armados. Ao avistarem Marlon, realizaram vários disparos e fugiram em um carro prata. Os tiros atingiram o tórax e a cabeça do rapaz, que morreu na hora.

A área foi isolada, mas não completamente fechada. Segundo a Polícia Civil, o carro foi abandonado nas imediações do aeroporto e os suspeitos já foram identificados.

O pai da vítima foi encaminhado para a delegacia prestar depoimento. O homem entrou em desespero e começou a gritar no aeroporto quando reconheceu o corpo do filho.

No momento dos disparos, o saguão estava cheio de jornalistas e torcedores do Grêmio que aguardavam o desembarque de Renato Portaluppi, novo treinador do Grêmio que vinha de um voo do Rio de Janeiro.

Segurança Pública

O crime dentro do aeroporto internacional ocorreu no momento de crise da segurança pública no Rio Grande do Sul. Há três semanas, o governo federal enviou mais de 130 homens da Força Nacional para auxiliar no combate à violência em Porto Alegre, a pedido do governador José Ivo Sartori. No final de agosto, o então secretário de Segurança Pública do estado, Wantuir Jacini, pediu exoneração do cargo após uma sequência de crimes violentos na capital gaúcha.

Em um primeiro momento, a atuação da Força Nacional estaria restrita aos bairros mais movimentados e regiões comerciais de Porto Alegre. No entanto, segundo o Comando de Policiamento da Capital, os agentes também estão sendo deslocados para os bairros periféricos e zonas conflagradas da capital, onde os índices de criminalidade são mais elevados.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário