Justiça nega liminar e mantém Pedro Teixeira no SEBRAE

O superintendente do SEBRAE de Rondônia, Pedro Teixeira, que foi preso na Operação Feudo acusado de formação de quadrilha, direcionamento de licitações, uso de laranjas e empresas fantasmas, estava no cargo por força de liminar após ter sido demitido pela presidente Joana Joanora em 2012, exatamente pelas acusações que lhe mandaram para a prisão.

Na época, Pedro Teixeira alegou que as “ações que ele respondia não haviam transitado em julgado, portanto, era inocente”. Detalhe, o cargo que ele ocupa é de confiança. Ele ingressou na justiça exigindo ainda uma indenização de R$ 200 mil. Em menos de uma semana ele retornou à instituição.

Com a prisão de Teixeira e outros acusados de desvios da entidade, a presidente Joana Joanora pediu a cassação da liminar, que foi negada pelo juiz Jorge Ribeiro da Luz, da 5ª Vara Cível. O magistrado alegou em sua decisão que “o objeto da presente não guarda relação com o noticiado na petição ora em análise, que relata fatos alheios à discussão de direito material instaurada, sem o condão de ilidir as razões que fundamentaram a concessão da liminar, não há que se falar em revogação da decisão de fls. 61/63, que ora mantenho por seus próprios termos e fundamentos”. Trocando em miúdos, o juiz disse que uma coisa não tem nada a ver com a outra, portanto, mesmo tendo tido a prisão prorrogada, Pedro Texeira continua no cargo de superintendente.

decide_sebrae

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *