O clima anda tão ruim entre a PM e os agentes que, nesta terça-feira, o coronel Fábio Alexandre, interventor dos presídios nomeado pelo governador, recebeu voz de prisão em flagrante no Panda porque estaria cometendo abuso de autoridade

A estratégia do governador Coronel Marcos Rocha (PSL) de jogar policiais militares contra agentes penitenciários está fazendo o clima esquentar entre as duas categorias.

Nesta terça-feira, a direção do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Rondônia (Singeperon) , em gravação publicada no Facebook pela presidente da entidade sindical, durante manifestação da categoria no Cenro Político e Administrativo de Rondônia (CPA), denunciou arbitrariedades e perseguições que estariam ocorrendo contra servidores públicos por ordem direta do coronel governador.

Segundo Dahiane Gomes, presidente do Singeperon, a mando do governador, a Polícia Militar prendeu, de forma arbitrária, sem nenhuma base legal, agentes penitenciários. Ela não deu mais detalhes sobre o caso.

“Estamos indo para a delegacia para acompanhar estes colegas”, disse Dahiane Gomes, acrescentando que a ordem para prender os servidores públicos partiu do próprio governador Coronel Marcos Rocha (PSL).

Visitas íntimas

Dahiane denunciou também que a intervenção da PM decretada pelo governador tem como único objetivo garantir a visita íntima de mulheres aos presos.

Um dirigente sindical acrescentou: “É uma intervenção fajuta”.

Segundo o Singeperon, qualquer questionamento feito por agente penitenciário resulta em ordem de prisão.

*”Prisão” de coronel PM

O clima anda tão ruim entre a PM e os agentes que, nesta terça-feira, o coronel Fábio Alexandre, interventor dos presídios nomeado pelo governador, recebeu voz de prisão em flagrante no Panda porque estaria cometendo abuso de autoridade contra agentes penitenciários. A voz de prisão foi dada por um advogado do Singeperon que teria flagrado o coronel abusando do cargo. O caso foi parar na Central de Polícia.

*A chamada voz de prisão por cidadão comum é garantida no artigo 301 do Código de Processo Penal do Brasil, que indica que qualquer indivíduo brasileiro pode prender quem estiver cometendo um crime, enquanto as autoridades policiais devem fazê-lo sempre.

É importante lembrar que a voz de prisão por cidadão comum é válida apenas em casos criminais (não em qualquer irregularidade) e apenas em casos onde o crime seja flagrante.

Com informações do Tudorondonia

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário