Ministro Humberto Martins garante certidão de regularidade fiscal a jornais
STJ 

Oito empresas de comunicação conseguiram liminar no Superior Tribunal de Justiça para obterem suas certidões de regularidade fiscal (CRF). A decisão é do vice-presidente da corte, ministro Humberto Martins.

A ação foi movida pelas empresas ligadas aos jornais Folha de S.Paulo e Valor Econômico (Folha da Manhã; Livraria da Folha; Transfolha Transporte e Distribuição; Datafolha Instituto de Pesquisas; Banco de Dados de São Paulo; Agência Folha de Notícias; Valor Econômico S.A.; e Plural Indústria Gráfica).

O ministro entendeu que que a impossibilidade de renovar as certidões de regularidade fiscal inviabiliza as atividades dessas empresas, que prestam serviços ao Poder Público e participam de licitações. Esse contexto, segundo ele, demonstra a presença do perigo de dano irreparável ou de difícil reparação.

As empresas pedem que seja declarada a inexistência de relação jurídico-tributária referente ao recolhimento da contribuição social geral de 10% ao FGTS (artigo 1º da Lei Complementar 110/2001) e que a União restitua valores recolhidos indevidamente nos últimos cinco anos, acrescidos de juros e correção monetária. Humberto Martins afirmou não haver impedimento para a concessão da suspensão, porque as empresas comprovaram ter feito depósitos judiciais para garantia do juízo.

“Nos termos da jurisprudência desta corte, a expedição de certidão positiva com efeitos de negativa está condicionada à existência de penhora suficiente ou à suspensão da exigibilidade do crédito tributário, nos termos dos artigos 151 e 206 do CTN, sendo, portanto, cabível ação cautelar para oferecer garantia ao pagamento de débito fiscal a fim de obter a Certidão Positiva de Débitos com Efeitos de Negativa (CPD-EN), porquanto essa caução equivale à antecipação da penhora exigida pelo art. 206 do CTN”, explicou.

TP 1.256

Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário