Definido o reajuste do piso salarial do comércio de Rondônia

As negociações da Convenção Coletiva de Trabalho 2018/2019, entre a Fecomércio, seus Sindicatos patronais filiados e os sindicatos laborais Sitracom – Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Bens e Serviços de Rondônia e Sindecom – Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Velho, ocorrida durante o mês janeiro, restou acordado o Termo Aditivo à CCT 2018/2019.

Ficando assim o reajuste de 3,97% para o piso salarial do comércio, o valor em R$ 1.128,00, o qual os empregados do interior e da capital receberão retroativos a 1º. de janeiro de 2019. A reposição salarial para os empregados que recebem acima do piso salarial, teve um índice de reajuste em 3,75% .

A Comissão de Negociação da Convenção Coletiva de Trabalho foi presidida pelo vice-presidente da Fecomércio, Gladstone Frota, que ficou satisfeito com o resultado das negociações. As partes debateram e defenderam os interesses de seus representados, e ao final, chegaram aos acordos que foi justo para ambas as partes” enfatizou Gladstone.

REPIS

O valor acordado para o Repis – Regime Especial de Piso Salarial, será de R$ 1. 040,00 para as empresas que possuem até 11 empregados.

As empresas do interior do Estado que já são optantes pelo REPIS -Regime Especial de Piso Salarial, deverão renovar seu certificado até 31 de março. Já as empresas de Porto Velho, poderão renovar até o dia 30 de abril deste ano.

Para as empresas que pretendem aderir ao REPIS, para efetuarem novas contratações, terão o prazo até o dia 31 de outubro de 2019.

Ar-condicionado aumenta conta de luz em até 50%; veja como economizar

Em Rondônia o forte calor faz com que a população invista em aparelhos de ar-condicionados, mas com a previsão de um reajuste de até 27,1% nas contas de energia, manter esses equipamentos pode ser uma facada no orçamento. E não apenas pelo preço dos aparelhos, já que atualmente, existem equipamentos à venda por preços em torno de R$ 1.000, mas esse investimento pode ser apenas uma pequena parte dos gastos que estão por vir.

“Nos meses de verão intenso, em uma residência média que faz uso intenso do ar­-condicionado, sem qualquer preocupação com medidas de redução de consumo, o impacto pode chegar a até 50% de aumento na conta de energia elétrica”, explica Roberto Peixoto, professor de Engenharia Mecânica do Instituto Mauá de Tecnologia (RJ).

A razão para isso é que o ar-­condicionado tem um consumo de energia similar ao de um chuveiro elétrico, porém
ele tende a ficar ligado por muito mais tempo. “Um aparelho de ar condicionado de 12.000 BTU consome tipicamente 25 KWh/mês para ficar ligado apenas uma hora por dia. Se ficar ligado quatro horas por dia, dependendo do ambiente, pode consumir 100 KWh/mês”, explica Renato Giacomini, coordenador do departamento de Engenharia Elétrica da FEI.

Para termos uma ideia do que esse número significa, uma residência brasileira consome em média 157,9 KWh/mês, de acordo com o Anuário Estatístico de Energia Elétrica 2018 produzido pela EPE (Empresa de Pesquisa Energética, do Governo Federal).
Ou seja: um ar­-condicionado ligado diariamente por quatro horas consumirá cerca de 63% do consumo total da residência considerada padrão pelo governo.

A boa notícia é que, da mesma maneira que ocorre com outros eletrodomésticos, o consumo do ar­-condicionado pode ser reduzido se seguirmos alguns procedimentos referentes ao seu uso.

Manutenção em dia

De acordo com os especialistas consultados, o primeiro passo para evitar que o seu ar­-condicionado seja um vilão do
consumo de energia elétrica é garantir que ele esteja em boa forma. “O ideal é limpar os filtros periodicamente, verificar se as saídas de ar não estão obstruídas, evitar que a unidade condensadora [o ‘motor’ do aparelho] sofra incidência direta do sol e verificar a carga do fluido refrigerante e se há vazamentos desse líquido”, alerta Peixoto.

Giacomini, por sua vez, aponta que essa seria a manutenção “básica” do aparelho. “O ideal é que um profissional qualificado também faça uma inspeção antes da chegada do verão ou, ainda, semestralmente, dependendo da intensidade de uso do ar­-condicionado”.

Uso econômico

Além de garantir que a manutenção do aparelho esteja em dia, algumas práticas podem diminuir um pouco o consumo de energia elétrica do aparelho. O primeiro passo é evitar que haja muita troca de calor entre o ambiente refrigerado pelo ar-condicionado e a sua parte externa. Ou seja: deixe o local com portas e janelas fechadas.

Desligar o ar­-condicionado assim que a temperatura desejada é atingida também não é uma boa ideia. “Há dois esforços principais realizados pelo ar-­condicionado: diminuir a temperatura de um ambiente e manter ela baixa. Caso o período sem a necessidade de uso do aparelho for longo, de um dia para outro, por exemplo, vale a pena desligar. Se esse período for curto, de uma hora, por exemplo, melhor deixar ligado”, diz Giacomini.

Outra solução é não programar o aparelho para gerar temperaturas muito baixas. “Essa é uma medida que tem
grande impacto, reduzindo o consumo de energia significativamente”, aponta Peixoto. O professor explica que isso ocorre porque os aparelhos de ar­-condicionado modernos têm sistemas de controle automático de temperatura, que liga e desliga o compressor de acordo com a necessidade do ambiente. Uma vez que a temperatura escolhida for mais alta, o ar­-condicionado se esforçará menos para mantê­-la e seu compressor passará mais tempo desligado.

Qual o ar-condicionado mais econômico: dicas para fazer a escolha certa

O condicionador de ar é um aparelho que deixa o lar muito mais confortável. No verão, ele ameniza aqueles dias de calor intenso e ajuda a manter a qualidade de vida. No entanto, um aspecto que precisa ser levada em conta é o consumo de energia do eletrodoméstico; ao planejar a compra de um ar-condicionado, é importante ficar de olho nos modelos mais econômicos. Para facilitar essa tarefa, separamos algumas dicas sobre o que faz um aparelho consumir menos eletricidade e também elencamos aqueles mais indicados para quem não quer gastar tanto com a conta de luz.

O que torna um ar-condicionado econômico

Embora, claro, o consumo de um ar-condicionado dependa de uma variedade de fatores(propriedades do aparelho, modelo, forma e tempo em que ele é utilizado, entre outros), existem certas características que ajudam a deixar o aparelho mais econômico. As principais são:

  • a utilização de tecnologias mais avançadas,
  • a presença do Selo Procel A;
  • algumas funções que reduzem o consumo;
  • e a potência do condicionador de ar ser compatível com o ambiente em que ele está instalado.
  • Tecnologia Inverter:

Com relação à tecnologia, o principal destaque fica por conta do modelo Split Inverter. Esse tipo de ar-condicionado é um dos mais avançados, pois conta com um mecanismo que controla a velocidade de compressão do aparelho. Assim, ele tem a capacidade de reduzir a velocidade do compressor, e não apenas desligá-lo, o que ajuda a manter a temperatura do ambiente por mais tempo e, melhor ainda, não gera picos de consumo elétrico! Com um ar-condicionado inverter, a economia de energia pode chegar a até 60%.

  • Função Sleep:

Independente do tipo de condicionador de ar, seja ele Inverter, de janela, Split normal ou portátil, é sempre indicado optar por aqueles que tenham funções de redução da potência ou desligamento automático. Hoje vários modelos de ar-condicionado contam com funções que desativam o eletrodoméstico após certo tempo ou, então, o chamado Modo Sleep, que durante a noite aciona um perfil de funcionamento mais econômica – com uma performance mais reduzida que também proporciona uma noite de sono mais agradável.

  • Selo Procel A:

Além de dar prioridade para um modelo Inverter e que tenha função Sleep (ou similar), outra dica que ajuda muito na hora de comprar um ar-condicionado econômico é ficar de olho no Selo Procel. Trata-se de uma certificação concedida pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica que atesta a eficiência energética de eletrônicos e eletrodomésticos. O selo conta com classificações que vão de A a E, sendo A indicado para aparelhos com o consumo mais baixo e E com o mais alto. Ou seja, procure por um condicionador de ar que possua o Selo Procel A!

  • Potência dos BTUs:

Por fim, a potência do ar-condicionado (em BTUs) e compatibilidade dela com o ambientesão pontos chave para que o aparelho conte com uma performance satisfatória, tanto no quesito climatização, quanto, claro, na performance energética. De forma geral, é preciso levar em consideração o tamanho da área, quantidade de outros aparelhos eletrônicos e fluxo de pessoas para saber qual a potência adequada para o cômodo. Nesse post você tem mais dicas de como calcular os BTUs e, assim, escolher o condicionador de ar mais indicado para o seu lar.

O ar condicionado split mais econômico

Existe uma grande variedade de aparelhos split que possuem uma performance energética satisfatória. Dentre eles, um que se destaca pelo grande custo-benefício, preço acessível e climatização agradável é o Ar-Condicionado Consul Split Hi Wall Bem Estar 7000 BTUs. Esse modelo conta com Timer On/Off e Função Sono Bom, que ajudam na economia de energia.

ar condicionado consul split

Já entre os aparelhos Inverter, uma das melhores indicações é o LG Split Inverter Libero E+ 11500 BTUs. Ele tem Selo Procel A, função Energy SavingModo Sleep e Timer – além da tecnologia Inverter -, representando assim um ótimo custo-benefício quando o assunto é consumo de eletricidade.

ar condicionado LG split

Qual o ar-condicionado portátil econômico?

Já os modelos de ar-condicionado portáteis costumam ter uma eficiência energética um pouco menor em comparação aos outros tipos de condicionadores de ar. No entanto, ainda assim existem aqueles que possuem funções voltadas para a economia de energia, como o Ar-Condicionado Gree Portátil 8500 BTUs. Ele tem função Sleep e Timer, que ajudam a proporcionar uma performance econômica.

ar condicionado portátil econômico

Ar-condicionado de janela mais econômico

Mais apreciado pelo seu preço acessível e instalação fácil e prática (principalmente em comparação ao modelo Split), o ar-condicionado de janela não costuma ser muito associado à economia de energia. Mas alguns modelos têm esse cuidado como diferencial, e um dos principais é o Consul Janela 7500 BTUs. Além de contar com um preço muito em conta, esse condicionador de ar ainda possui Selo Procel A, indicativo de uma performance energética acima da média.

Ar condicionado de Janela econômico
banner-janela

Agora você já sabe como identificar aquele ar-condicionado mais econômico, que deixará o seu lar mais confortável e agradável sem prejudicar o seu bolso! 

Fecomércio-RO facilita serviços a empresários de todo o Estado

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia – Fecomércio-RO – inicia 2019 sempre com a mesma proposta de defesa dos interesses dos empresários do Estado e colocando à disposição uma série de serviços para facilitar a vida das empresas.

A federação investiu na qualificação de técnicos e na sua rede de Tecnologia da Informação para melhorar a interação e oferecer um serviço de maior qualidade aos empresários que buscam diferenciação no mercado. É um trabalho que vem se modernizando a cada ano.

Na lista de serviços disponíveis estão sendo oferecidos aos empresários a Certificação Digital, a Certificação de Origem, a Carta de Exclusividade, o Repis, a Convenção Coletiva de Trabalho e Saúde Ocupacional. Cada serviço possui importância peculiar ao crescimento das empresas.

O Certificado Digital, a Carta de Exclusividade e Certificação de Origem Digital, por exemplo, são documentos que dão segurança e praticidade nas suas operações empresariais, tornando sua empresa mais competitiva e lucrativa. São ferramentas modernas da mais alta credibilidade no mercado.

Outro serviço bastante requisitado é o Repis – Regime Especial de Piso Salarial – que garante a redução da sua folha de pagamento dos empregados. Quem adere ao Repis, tem mais economia. Essa economia para muitos empresários tem se traduzido em forma de investimentos e contratação de mão-de-obra.

Já a Convenção Coletiva se traduz na garantia de direitos e benefícios para o fortalecimento do empresário. A Convenção coletiva é um acordo anual realizado entre os trabalhadores e os empregadores da classe sindicalizada. A Fecomércio-RO atua como mediadora desse acordo.

A Fecomércio-RO também está em vias de conclusão, o Programa de Saúde Ocupacional, cujo objetivo é prevenir, mapear, e diagnosticar os agravos à saúde dos trabalhadores nas empresas. O programa também constata casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis causados por riscos do trabalho ou quaisquer situações ligadas ao ambiente de trabalho.

É importante lembrar ao empresário que a representatividade da Fecomércio-RO e seus sindicatos filiados, através da *contribuição sindical, é uma ferramenta indispensável para a sua empresa continuar sempre firme. Emita sua guia de recolhimento no site fecomercio-ro.com.br.

(*) O recolhimento é facultativo.

Para mais informações, ligue no 69 2182 3400.

Marcos Rocha afirma que desenvolver comércio faz parte das estratégias para aquecer a economia de Rondônia

O governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha, se reuniu nesta quarta-feira (16) com o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio), Raniery Coelho, acompanhado de diretores para discutir ações de parceria para fomentar a economia do Estado através do aquecimento do comércio local.

‘‘O desenvolvimento do nosso Estado passa pelo comércio, pela indústria, pelo agronegócio e nós vamos fazer de tudo para investir nessas e outras demandas para que Rondônia possa crescer’’, afirma o governador.

Ele apontou ainda as medidas adotadas para que o Estado que se encontra no azul, ou seja, com pagamento de servidores em dia e honrando com os demais compromissos financeiros não tenha o mesmo desfecho de outras unidades da federação que estão em condição econômica crítica.

“O governo do Estado está ‘inchado’ porque são muitos cargos e ás vezes com uma divisão não adequada. Então vamos fazer o enxugamento do Estado e a reestruturação das nossas secretarias. Toda cautela é pouca nesse momento por isso a aplicação de mão de obra técnica no Estado, pessoas que saibam o que estão fazendo. E nós precisamos entender que esse é um momento diferente. Eu fui eleito pelo povo, com o apoio do povo e objetivo agora é reduzir a máquina pública para que o estado possa se desenvolver”, considera o governador.

O presidente da Fecomércio disse que coloca a instituição a disposição para dar todo o apoio necessário para o desenvolvimento do Estado e convidou o governador a fazer uma visita a mesma e conhecer as ações que o Estado já desenvolve em parceria com a instituição. Também foram citados outra temas que devem ser discutidos com profundidade como a melhoria da malha aérea e dos aeroportos e o desenvolvimento de Guajará-Mirim.

Além de tratar das contribuições sociais do Sistema S. ‘‘Eu já fui um dos beneficiados quando era criança pelo sistema. Eles ofereciam no entorno da região pobre que eu vivia no Rio de Janeiro aula de natação, lutas e colônia de férias. Não tem como esquecer a importância da Fecomércio, do Sistema S, não tem como a gente não trabalhar em conjunto com eles’’, afirma o governador.

Fecomércio-RO agradece o Executivo estadual pelo veto ao projeto que privilegiava inadimplentes do comércio

O presidente da Fecomércio-RO, Raniery Coelho, agradeceu ao governador Daniel Pereira pelo veto do projeto de Lei 732/2017, aprovado pela Assembleia Legislativa de Rondônia, na semana passada, que regulamenta o sistema e inclusão dos nomes dos consumidores no cadastro de proteção ao crédito.

A lei aprovada diz o seguinte: “a inclusão do nome dos consumidores em cadastros ou banco de dados de consumidores, de serviços de proteção ao crédito ou congêneres, referente a qualquer informação de inadimplemento dispensa a autorização do devedor, mas, se a dívida não foi protestada ou não estiver sendo cobrada diretamente em juízo, deve ser-lhe previamente comunicada por escrito, e comprovada, mediante o protocolo de aviso de recebimento (AR), sua entrega no endereço fornecido por ele”

Segundo o presidente, o empresário atualmente já enfrenta dificuldades e ainda ter que esperar pelo Aviso de Recebimento para negativar os clientes não é nada razoável e até nociva ao comércio. “Essa situação da notificação do devedor, como bem lembrou o governador, já está pacificada nos tribunais superiores do País. O próprio STJ se posicionou sobre o assunto quando aprovou a Súmula 404”, comentou Raniery.

A Súmula 404 do STJ dispensa o Aviso de Recebimento (AR) na carta de comunicação ao consumidor sobre a negativação de seu nome em bancos de dados e cadastros. De acordo com o presidente Raniery Coelho, há outra súmula do STJ, a 359, na qual a responsabilidade pela notificação é do próprio órgão responsável pelos cadastros restritivos, e, não do credor (empresário). “O Governo evitou mais a criação de mais uma criação dispendiosa para o empresário. Por isso agradecemos pela intervenção favorável ao comércio”, finalizou.

A profecia de uma 2019 melhor – Por Raniery Araujo Coelho

Não se pode dizer que 2018 não tenha sido um ano de fortes emoções. E também de mudanças nos mais variados campos. E pode-se dizer, sem susto de errar, que é um ano que, apesar de terminar no dia 31, ainda há de persistir nos seus efeitos. Primeiro porque, muito mais do que antes, consolidou-se a certeza de que a economia global ficou desequilibrada. Há o consenso de que as finanças comandam o mundo e que a indústria está se concentrando na Ásia. Também um conflito “suave, mas, consistente” entre os interesses chineses e norte-americano torna as tendências futuras ainda mais incertas. Tudo tende, em especial com o presidente Trump discursando a toda hora, a aumentar os esforços para fortalecer o nacionalismo econômico e tender a criar mais problemas nas relações comerciais. Isto preocupa por diminuir o ritmo mundial de crescimento, acarretando menos arrecadação e aumento da dívida para que os estados possam atender seus encargos.

No Brasil, em particular, o brasileiro, que tomou as ruas entre 2013 e 2016 em prol de um país melhor, justo e ético, enterrou o lulopetismo elegendo uma aliança de centro-direita em torno de Jair Messias Bolsonaro e passando uma mensagem de renovação política e projetando a necessidade de uma classe política mais alinhada e preocupada com a voz das ruas. Efetivamente, com a eleição de Bolsonaro, o poder político passa da esquerda para a direita fazendo crescer o otimismo das forças econômicas quanto à implementação das reformas estruturantes de que o Brasil precisa para retomar o crescimento da economia e se desenvolver. E isto aconteceu com o deslocamento dos denominados “formadores de opinião” da sociedade (mídia mainstream, pretensos especialistas, artistas e intelectuais) pelas redes sociais, o que torna ainda mais difícil identificar tendências que impactem no sucesso dos negócios a curto e longo prazo.

Um sintoma disto é que os gigantes do setor de tecnologia da informação, como Google e Facebook, vêm investindo maciçamente em pesquisa e desenvolvimento de soluções em big data analytics. De qualquer forma, há um grande otimismo a respeito do ano que vem. Os comerciantes são, por natureza, otimistas e, quando dois dos maiores bancos do País-Itaú e Bradesco- elevaram suas projeções de crescimento da economia para 2019. É um bom sinal, porém, precisamos levar em conta que se os sinais de que os negócios estão melhorando, neste final de ano, é de se esperar que as vendas continuarão crescendo de forma animadora, o que nos obriga a nos aprimorarmos cada vez mais no nosso ramo de atividade, já que grande parte das empresas estão investindo em melhorias nos seus processos de pesquisa, de venda e de logística. O que importa, e não podemos perder de vista, é que o próximo ano depende, em grande parte, do nosso trabalho, do esforço que fazemos para melhorar as nossas práticas e fidelizar nossos clientes. Vamos entrar num ano em que será preciso agir com profissionalismo, ter equipes motivadas, práticas de excelência e ferramentas que nos auxiliem a criar e fazer as coisas acontecerem, diariamente, cada vez melhor. Com certeza 2019 será um ano bem melhor e nós devemos trabalhar para que esta profecia se cumpra.

( * ) é presidente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac-IFPE e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC)

Fecomércio-RO preside audiência pública que discutiu aumento da tarifa de energia elétrica em Rondônia

Usando de seu protagonismo habitual nos assuntos de interesse e relevância para o empresário estadual, a Fecomércio-RO presidiu na tarde de terça-feira 17.12 a audiência pública que discutiu o aumento da tarifa de energia elétrica, no plenário da Assembleia Legislativa de Rondônia. A Federação foi representada na audiência pelo Presidente em Exercício do sistema Fecomércio/Sesc/Senac/IFPE, Gladstone Frota e pelo diretor da Fecomércio Francisco Holanda.

Em seu discurso, Gladstone disse que a federação não concorda e não aceita o reajuste tarifário e que na atual circunstância econômica, o setor produtivo não suporta um aumento de 25%. Segundo ele, “isso é pedir a falência de muitas empresas”. Ele parabenizou a Assembleia Legislativa e os Representantes da Entidades e dos segmentos da Sociedade pelo interesse no debate em prol de Rondônia.

O Presidente da Casa, Maurão de Carvalho compartilhou das declarações do vice-presidente da federação e classificou o aumento como inaceitável. “Esse aumento é abusivo e penaliza desde empresários, a comerciantes e produtores rurais. É importante que haja esse envolvimento das Entidades e Instituições, para que possamos somar forças e derrubar esse reajuste inaceitável”, destacou.

O governador Daniel Pereira (PSB) disse que o aumento pegou todos de surpresa e que a população rondoniense recebeu um verdadeiro “presente de grego” de presente de natal “O que se espera de uma empresa que passa a ser privatizada é a redução de custos e não o contrário. Vivemos um momento econômico que já não está muito fácil, e com esse aumento pode ficar pior ainda”, disse.

O representante da OAB, Felipe Roberto Pestana, informou que a entidade já impetrou Ação Civil Pública questionando a resolução que concedeu o reajuste. De acordo com o advogado, existem legalidade e regulamentação definida para os ciclos tarifários anuais que preveem o aumento das contas de energia. A seu ver, o que merece a atenção do Poder do Judiciário é a maneira como cálculo técnico para o reajuste tarifário foi feito.

Para o advogado, o percentual de reajuste de quase 25%, fere o processo regulatório dos ciclos tarifários e que a empresa deve apresentar critérios como dados sobre os percentuais de perdas, como furto de energia e utilização técnica, não previstos e levantados, mas que foram calculados e refletidos na revisão tarifária, quais investimentos e os custos operacionais do sistema de energia, e qual a depreciação do ativo. “A intenção da OAB é questionar a revisão tarifária e defender de forma legal, os interesses da sociedade”, disse.

O Presidente do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor, Gabriel Tomasete disse já haver uma ordem judicial para que a Aneel e Energisa se manifestem sobre o aumento desleal imposto sobre os consumidores de Rondônia. “Precisamos nos manifestar, não com baderna, mas com altivez” disse ele e informou que ingressou com Ação Civil Pública solicitando a suspensão imediata e a substituição do índice pelo IPCA, pedindo danos morais e sociais e a caducidade do contrato da Energisa, fazendo nova licitação.

A presidente da CDL, Joana Joanora das Neves, afirmou que não é só a energia que aumenta, mas o ICMS sobre a fatura e todo o custo produtivo. “Este aumento de 25% é uma penalização muito grande para o pequeno empresário que terá de optar entre ligar o ar-condicionado e honrar a conta da energia e ter clientes ou pagar os impostos e aluguel. Caso contrário vai chegar uma hora que não vai dar mais para honrar os compromissos”, concluiu.

Presentes à reunião estiveram os conselheiros Osmar Santana e Evaldo Maia, além da assessora jurídica da Fecomércio, Maria do Socorro, o presidente da Associação Comercial de Rondônia (ACR) Wanderlei Oriani, o presidente da OCB – Salatiel Rodrigues, além dos deputados Laerte Gomes, Adelino Follador (DEM), Anderson do Singeperon, Dr. Neydson, Aélcio da TV, José Lerão, Alex Redano, Jesuíno Boabaid e Léo Moraes; o presidente do Sindur – Sindicato dos Urbanitários, Nailor Gato, o presidente a FITRAC, Acácio Amaral, dentre outras lideranças sindicais e religiosas.

Ao final da sessão ficou decidido que serão enviados encaminhamentos ao Ministério Público Federal, OAB, e ao Judiciário estadual além de uma Carta de Repúdio a Aneel. Para os Empresários e debatedores da audiência, o apoio da Bancada Federal de Rondônia será de vital importância para um acordo envolvendo a União, a Aneel e a Energise. O governador Daniel Pereira informou que o governo junto com a OAB protocolará ofício a Aneel solicitando a suspensão do reajuste.

Senac Rondônia acaba de abrir vagas para os cursos da primeira programação do ano de 2019

Quem deseja começar o ano de 2019 capacitando-se, já pode conferir à nova programação de cursos do Senac Rondônia, disponível através do link: http://bit.ly/SenacRO-Cursos-Jan-a-Abr-2019

São diversos cursos que abrangem os segmentos da Beleza, Moda, Turismo e Hospitalidade, Comunicação e Informática, Negócios, Gestão e Administração.  As matrículas estão abertas nas unidades do Senac em Ariquemes, Cacoal, Jaru, Ji-Paraná, Vilhena, Pimenta Bueno e Porto Velho.

Para realizar matrícula, basta comparecer nas centrais de atendimento das unidades. Mais informações pelos telefones (69) 3536-8722 (Ariquemes), 3441-4927 (Cacoal), 21816900 (Esplanada), 3521-3730 (Jaru), 3421-0659 (Ji-Paraná), 3227-3186 (Pimenta Bueno) e 3322-1060 (Vilhena).

Processo seletivo: Graduação e Pós-Graduação

As inscrições para os processos seletivos do 1º semestre de 2019 para os cursos de graduação e pós-graduação a distância também já estão abertas e seguem até fevereiro de 2019.

Formas de ingresso: basta acessar o portal do Senac EAD, escolher o polo de interesse, fazer o login e selecionar o curso à sua escolha.

Após optar pelo curso, o interessado pode utilizar a nota de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além de ter opção de ingresso por Portador de Diploma, de modo que quem já possui diploma de graduação pode realizar a matrícula automaticamente. A entrada no curso também pode ser feita por meio da realização de uma redação on-line, sobre o tema sinalizado no edital, ou após processo de seleção de transferência interna de outras unidades do Senac.

Mesmo diploma do presencial – O diploma da graduação equivale a de um curso presencial. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), todo diploma de nível superior tem a mesma validade, independentemente de o curso ser ofertado na modalidade presencial ou a distância (EAD). Desse modo, o diploma da graduação do Senac EAD está alinhado a essa especificação e pode ser usado para a conquista de um emprego que exija nível superior, prestação de concurso público ou iniciar uma pós-graduação.

Inscrições abertas para os Cursos Técnicos

No Senac EAD os cursos técnicos garantem a flexibilidade para que o aluno estude onde e quando quiser. São 12 diferentes opções nas áreas de comércio, design, gestão, informática, meio ambiente, segurança e turismo. O prazo para inscrições nos cursos técnicos a distância do Senac segue até 04 de fevereiro de 2019.