Rondônia terá aumento nas vendas do comércio e na oferta de empregos temporários em 2018

De acordo com dados da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) e a Caixa Econômica Federal, até dezembro de 2018, devem ser abertas 434,4 mil vagas temporárias nos setores da indústria, comércio e serviços, em decorrência do aumento das vendas para o Dia das Crianças, Natal e Ano Novo.

Isso representa um crescimento de 10% em relação ao mesmo período de 2017, quando foram abertas 394,9 mil vagas. A alta, segundo a entidade, é puxada pela indústria, em especial dos segmentos farmacêutico, alimentar, químico e agroindustrial. Em relação a 2016, o número previsto para contratações temporárias é 22% maior.

No entanto, em relação ao comércio, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê a contratação de 72,7 mil trabalhadores temporários para o varejo, um recuo de 1,7% em relação aos 73,9 mil postos criados no ano passado. Mas, em Rondônia serão criados 1.114 empregos temporários no período, o que é 9% a mais do que os 1.018 empregos temporários gerados no ano passado.

Neste ano, a pesquisa da Fecomércio-RO, que não inclui dados do Porto Velho Shopping, mostra que 14,9% dos contratados temporários têm chance de efetivação. De acordo com a CNC, a desaceleração da economia diante do cenário de incertezas do segundo semestre deverá levar ao crescimento menor das vendas no Natal, de 2,3% com um valor de vendas de R$ 34,4 bilhões. Em 2017, a alta foi de 3,9% em relação a 2016.

Em relação às vendas, também, em Rondônia, as perspectivas são melhores, pois uma sondagem realizada pelo Departamento Econômico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio/RO), com base em entrevistas com empresários do setor comercial, revela que as vendas deste Natal devem ser um pouco melhores que as do ano passado com um crescimento de 4,3%, o que representa um valor de vendas de R$ 223,6 milhões.

A pesquisa constatou também que a expectativa dos empresários é de que o tíquete médio deve ficar entre R$ 60,00 e R$ 90,00, com a grande maioria dos consumidores, que pretendem presentear, comprando presentes de menor valor.

A expectativa é do crescimento da intenção de compra dos bens culturais, como livros, CD’s, DVD, etc., com mais de 70% dos consumidores apontando que irão fazer este tipo de consumo, inclusive com participação significativa de artesanato. Ainda de acordo com a sondagem da Fecomércio Rondônia, vestuário e calçados (58%) e brinquedos (49%) continuarão a liderar as compras, mas, artigos de uso pessoal (29%), móveis e eletrodomésticos (16%) e supermercados (22%) são os setores que os consumidores revelam que irão comprar.

Deixe uma resposta