Montanhistas vivem nos Alpes como teste para futura missão em Marte

Durante o período do estudo, os escolhidos vão ter de conviver com baixa pressão atmosféricas e ar rarefeito, condições semelhantes a Marte

Com o intuito de simular a pressão atmosférica de Marte, dez montanhistas irão passar seis dias em um dos pontos mais altos da Europa: os Alpes Valaisanos.

A experiência serve como parte da preparação para futuras missões espaciais no Planeta Vermelho, segundo informou o G1.

A partir de segunda-feira (22), cinco homens e cinco mulheres vão testar os limites do corpo em uma das construções de maior altitude da Europa, o refugio de montanha Regina Margherita, a 4.554 metros acima do nível do mar, localizado entre a fronteira da Itália e Suíça.

Durante esse período, os montanhistas vão ter de conviver com baixa pressão atmosféricas e ar rarefeito, condições semelhantes a Marte.

“Se, no futuro, astronautas forem enviados a uma base em Marte, é provável que vivam e trabalhem sob uma pressão atmosférica semelhante”, explicou o diretor médico do projeto, Ulrich Limper.

Expostas a essas condições, muitas pessoas acabam sofrendo com as chamadas doenças da altitude ou o “mal da montanha”, cujo sintomas incluem dor de cabeça, náusea, e inchaços nos pés e nas mãos.

Entre outras coisas, os pesquisadores querem avaliar quais são as melhores formas de lidar com os males causados pela altitude.

De acordo com a publicação, uma porta-voz do Centro Aeroespacial Alemão (DLR) afirmou que os voluntários não são candidatos a astronautas, mas sim, pessoas comuns que se dispuseram a participar dos testes.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário