Morre ex-presidente de Israel e Nobel da Paz Shimon Peres

Shimon Peres havia sofrido, há duas semanas, um acidente vascular cerebral (AVC)

O ex-presidente israelense e prêmio Nobel da Paz, Shimon Peres havia sofrido, há duas semanas, um acidente vascular cerebral (AVC).

Shimon Peres, de 93 anos, era o último sobrevivente da geração dos fundadores do Estado de Israel, e foi um dos que participou dos acordos de Oslo assinados com os palestinos nos anos 1990.

Peres ganhou o prêmio Nobel da Paz em 1994 junto com Yitzhak Rabin e Yasser Arafat “por seus esforços a favor da paz no Oriente Médio”.

As mensagens de apoio enviadas por personalidades de todo o mundo demonstram o respeito internacional que ganhou após décadas de carreira política.

Shimon Peres foi vítima de um AVC no dia 13 de setembro, e foi hospitalizado no centro Tel Hashomer de Ramat Gan, o maior hospital israelense perto de Tel Aviv, onde foi sedado e conectado a um respirador no setor de cuidados intensivos.

Seus médicos falaram imediatamente de estado crítico, mas depois indicaram que sua situação era estável, e mais tarde apontaram uma certa melhora.

Inclusive planejaram reduzir sua ajuda respiratória e os sedativos para avaliar sua reação.

Desde 13 de setembro, o papa Francisco, os presidentes americano, Barack Obama, e russo, Vladimir Putin, e o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair enviaram mensagens de solidariedade.

Um sábio da nação

Peres, apesar de ter participado das grandes batalhas da curta história de Israel e suas agudas controvérsias políticas, construiu a imagem de um político de consenso, sendo considerado um “sábio” da nação.

Foi ministro em inúmeros governos, assumiu em várias ocasiões o cargo de primeiro-ministro e, depois, de presidente do Estado de Israel de 2007 a 2014. Ocupou praticamente todos os cargos de alto nível no país, desde a Defesa, passando pelas Finanças e também Política Exterior.

Entrou na política aos 25 anos graças ao “velho leão”, David Ben Gurion, fundador de Israel.

Peres também é considerado o pai do programa nuclear israelense.

Apesar dos acordos de Oslo e das negociações de paz, os palestinos têm uma visão muito mais turva de quem garantiu as primeiras colônias judaicas na Cisjordânia e ainda era primeiro-ministro quando a aviação israelense bombardeou o povoado libanês de Cana, matando 106 civis em abril de 1996.

Aos 93 anos continuou sendo uma figura muito ativa através de seu Centro Peres para a Paz, que promove a convivência entre judeus e árabes.

Em uma ocasião revelou que o segredo de sua longevidade consistia em fazer ginástica todos os dias, comer pouco e beber uma ou duas taças de um bom vinho.

Deixe um comentário