Motoristas aguardam nos postos redução do preço do diesel, protestos seguem

A manifestação dos motoristas chega ao seu quarto dia. Motoristas garantem que estão unidos e que pretendem manter a paralisação até que a decisão do governo seja realmente de redução no preço do diesel sem prazo de validade como foi anunciado ontem pela Petrobras.

Antônio Francisco de Moura, Cumbe/SE, transporta carga seca, do Sul da Bahia para o Nordeste, Laranjeiras/SE, e afirma que os motoristas estão unidos pela baixa do combustível, do pedágio e aumento do frete. “O Gigante acordou. Nós representamos o Brasil. Sem caminhão o País para. Estamos parados desde domingo a noite. Está de parabéns os motoristas de Sergipe, de Mato Grosso, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Salvador, Recife, Alagoas, Paraiba, Maringá essa luta não é só nossa é de toda população. A nossa classe não vai parar. Vamos sair apenas quando o diesel abaixar e não por 15 dias”.

Já o carreteiro Paulo, conhecido pelo QRA Tomaty, de Triunfo/RS, está carregado em Aparecida de Goiânia/GO, porém está parado em um posto em Trindade/GO apoiando a manifestação. “Eu sou totalmente a favor da greve. Isso tem que terminar, o preço do diesel e da gasolina são muito caros. Temos que mostrar para todos que humilham os motoristas que sem os caminhões falta até alimento.

Greve dos caminhoneiros gera onda de “fake news”

Durante a greve dos caminhoneiros no Brasil, que lutam contra a alta dos preços do óleo diesel e que se arrasta há quatro dias, uma onda de fake news tem se espalhado na rede. As notícias vão desde a exigência de renúncia dos presidentes Michel Temer, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira, da República, Câmara e Senado, respectivamente, a preços de diesel praticados na Bolívia.

Vale ressaltar que as principais reivindicações da classe estão ligadas aos valores do diesel, frete e pedágio. Confira as principais fake news que estão circulando na internet sobre a greve:

Voto impresso X

Ao contrário do que foi veiculado em alguns sites, voto impresso e conferência da apuração não estão na pauta oficial de reivindicações dos caminhoneiros.

Intervenção militar X

Ainda que boa parte dos motoristas falem em medidas extremas como uma intervenção militar no país ou de militares em cargos políticos, não é uma posição oficial das lideranças e da maioria dos grevistas.

Exame toxicológico X

Embora polêmico por tudo o que envolve, e principalmente por só atingir os motoristas que possuem habilitação a partir da CNH C, o exame toxicológico, pelo menos até o momento, não está na mesa de negociação entre grevistas e governo.

Porte de arma X

Embora defendido por muitos motoristas, o porte de arma não é unanimidade entre os grevistas, e muito menos é uma das pautas levadas ao governo.

Exército X

Circulam vídeos e notas onde, supostamente, o Exército Brasileiro está apoiando o movimento grevista. No entanto, com exceção de alguns militares da reserva, a instituição não divulgou nota oficialmente para declarar tal apoio.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário