MP vai recorrer de decisão que absolveu cunhado de Ana Hickmann

Promotor disse que absolvição é ‘absurdo’ e que ‘não tem como aceitar a legítima defesa’. Gustavo Correa foi absolvido da morte do fã da apresentadora, ocorrida em maio de 2016, em um hotel de BH.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informou, nesta quarta-feira (4), que vai recorrer da decisão que absolveu o cunhado de Ana Hickmann, Gustavo Correa. Ele responde a um processo pelo assassinato Rodrigo Augusto de Pádua, que planejou um atentado contra a apresentadora em um hotel de Belo Horizonte, em 2016.

“É um absurdo a absolvição”, disse o promotor responsável pelo caso, Francisco Santiago. Segundo ele, um recurso será apresentando ainda nesta tarde no Fórum Lafayette.

De acordo com a decisão da juíza do 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, Âmalin Aziz Sant’Ana, Correa agiu em legítima defesa. Por isso, além de absolvê-lo, a magistrada entendeu que o cunhado de Ana Hickmann não deve ir a júri popular.

“Não tem como aceitar a legítima defesa. (…) Vou lutar até o fim [para que Correa vá a júri popular]”, afirmou Santiago.

Procurada pelo G1, a defesa de Gustavo Correa afirmou que já era esperado que o MPMG questionasse a decisão. “A gente reforça o posicionamento da sentença, que é irretocável. Temos certeza que o Tribunal de Justiça vai confirmar a decisão da juíza Âmalin”, disse o advogado Maurício Bemfica.

Por meio de uma rede social, o cunhado de Ana Hickmann também se posicionou sobre a decisão da Justiça mineira. “Agora são três decisões favoráveis a mim contra a de um promotor que insiste em me condenar. Siga em frente na sua empreitada em destruir com a minha vida que eu sigo com minha defesa. Fiz e faria tudo de novo, sempre disse isso. Saí para trabalhar enquanto esse psicopata saiu pra dizimar uma família. Segue o jogo da vida, que mais parece uma montanha russa”, comentou Correa.

Processo
A apresentadora Ana Hickmann sofreu um atentado por um “fã” na capital mineira, em maio de 2016. O crime aconteceu dentro de um hotel no bairro Belvedere. Gustavo matou Rodrigo após este atirar contra sua mulher, Giovana Oliveira, assessora da apresentadora.

O cunhado de Ana Hickmann foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio doloso, quando há intenção de matar. O argumento do promotor Francisco Santiago é que como Rodrigo foi morto com três tiros na nuca, houve excesso de legítima defesa e se configura um crime de homicídio.

A juíza considerou a luta corporal entre Gustavo e Rodrigo, sem que o fã largasse a arma, a tensão do réu e a ausência de fatos que comprovem que o cunhado de Ana Hickmann estaria no controle da situação quando atirou.

Fonte: g1

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário