“Não julgarei um amigo”, diz Marcos Rogério, relator da ação contra Cunha

O escolhido na lista tríplice e novo relator do processo contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética, o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) admite uma relação boa com o presidente da Câmara dos Deputados. Rogério entretanto, minimiza isso e diz que seu trabalho será imparcial.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Evangélico, Rogério diz que a religião em comum com o presidente da Câmara também não é obstáculo para o trabalho como relator. “Tenho respeito pelo presidente da Casa e consideração pelo que ele tem feito enquanto presidente da Casa, de positivo e críticas com relação a posições que também negativas enquanto presidente. Mas aqui não vou estar julgando um amigo, não vou estar julgando um irmão de fé. Minha atuação enquanto relator é avaliando fatos, condutas e não pessoas”, declarou.

Leia também: Bancada de Rondônia não tem posição definida sobre Eduardo Cunha

O deputado afirma que nunca frequentou a casa de Cunha e que não faz parte do círculo mais íntimo do presidente da Câmara dos Deputados. “Não tenho relação de amizade mais profunda com o deputado [Cunha]. Não faço parte do raio mais próximo dele, mas tenho uma boa relação. Nunca frequentei a casa dele, não sei onde mora, mas tenho uma relação com ele como outro parlamentar tem e talvez um pouco mais em razão da fé cristã que professamos, mas isso não me impede de ter aqui uma postura imparcial.”

O deputado já havia manifestada sua posição favorável ao prosseguimento do process. Ele não acredita que pode ser posteriormente questionado como relator pela defesa de Cunha. “Se houvesse um questionamento quanto à parcialidade de alguém por antecipação de juízo valorativo em relação à preliminar, todos praticamente estariam impedidos de participar desse processo. Não vejo isso como impedimento”, opina o deputado.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 thought on ““Não julgarei um amigo”, diz Marcos Rogério, relator da ação contra Cunha

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: