O que falta para o MPF em Rondônia começar a agir em relação as denúncias da Lava Jato?

Órgão deveria começar a coletar informações do MPF do Paraná para apurar desvios em Rondônia

Brasília – A operação Lava Jato atingiu políticos de praticamente todos os estados, mas em Rondônia a coisa foi bem mais cabeluda, principalmente no que diz respeito à construção das usinas do Madeira e obras do PAC, como os viadutos em Porto Velho e as obras de saneamento.

Mas, ao que tudo indica, não fossem pelas ações do Ministério Público do Paraná, os maiores beneficiados com propinas em Rondônia estariam completamente ilesos, já que o Ministério Público Federal no Estado está apático em relação a tudo que acontece sobre o assunto.

Em que pese o órgão ministerial ter agido (sob pressão do Ministério Público Estadual) no caso dos desvios cometidos pelo ex-prefeito Roberto Sobrinho (PT) que chegou a ser afastado do caso e ficado preso 24 horas, nas demais situações o MPF não se movimenta.

As denúncias de pagamento de propina por parte do ex-executivo da Odebrecht em Rondônia, José Bonifácio Pinto Júnior são conhecidas até pelos bagres do Madeira. A tal CPI das Usinas, os desvios de recursos nas obras de compensação e as obras paradas que resultaram em prejuízos de toda a espécie continuam aguardando uma posição efetiva.

A impressão que se tem é que o MPF (ressaltando, o FEDERAL) não acompanha o ritmo dos colegas paranaenses…

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário