O maior consumo de carne processada aumenta o risco de câncer do intestino em humanos, e a carne vermelha é fator de risco provável, afirmaram especialistas da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Nesta segunda-feira (26), a OMS divulgou um relatório que deve acirrar o debate sobre os méritos de uma dieta baseada em carne.

A IARC (Agência Internacional de Pesquisa do Câncer), braço da OMS baseado na França, colocou produtos como salsichas, linguiças, presunto e bacon em sua lista do grupo 1, que já inclui o tabaco, amianto e fumaça de diesel, para os quais já há “evidência suficiente” de ligação com o câncer.

A decisão não foi tomada apenas com base em estudos novos, mas em uma análise da literatura médica sobre o assunto, mais de 800 estudos existente até agora.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário