‘Onde eu errei?’, questiona bandido à vítima após golpe dar errado

Bandidos fingiram ser um primo do homem e pediram para que a vítima fizesse uma transferência de R$ 2,2 mil

Um morador de Teresina, que preferiu não se identificar, por pouco não cai em um golpe feito por meio do WhatsApp, nessa terça-feira (24). Bandidos fingiram ser um primo dele e pediram para que a vítima fizesse uma transferência de R$ 2,2 mil. Quando ele percebeu que se tratava de um golpe, avisou aos suspeitos que a farsa tinha dado errado.

“Onde eu errei?”, questionou um dos criminosos depois de a tentativa não ter dado certo. O homem contou que, antes de pedir o dinheiro, recebeu uma ligação com DDD 62. “Um homem ligou dizendo que era um primo meu de Brasília, perguntando se eu estava reconhecendo a voz. Eu falei que tinha alguns primos, ele pediu para eu dizer o nome e eu falei de um deles. A partir de então, a pessoa me disse que tinha quebrado o carro na estrada, no Piauí, e pediu para eu fazer uma ligação”, detalhou a vítima.

Como o bandido ainda não havia pedido nenhuma quantia, ele não desconfiou da ligação, porque o assaltante tinha pedido apenas para ele ligar para um outro número do Piauí, que seria de uma oficina mecânica. “Ele não pediu nada, só que eu fizesse essa ligação, me deu a placa do carro, detalhes de onde estava, disse que era a 20 km de Amarante. Quando liguei pro outro número, a pessoa já atendeu falando o nome de uma oficina, confirmou a placa do carro”, relatou.

Na última ligação antes da mensagem pelo WhatsApp, o golpista, “primo” da vítima, disse que precisava de dinheiro. “Ele contou que os mecânicos não tinham cartão e que não havia onde sacar dinheiro. Eu já tinha desconfiado de algumas coisas, mas nesse momento eu tive certeza que era um golpe”, contou.

Fonte: noticiasaominuto

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário