Para Cassol, prefeito de Vilhena é “mulher de malandro”

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Numa entrevista explosiva, concedida agora a pouco a rádio Planalto de Vilhena, e que teve parte exibida em rede estadual, o senador Ivo Cassol não aliviou para o prefeito Zé Rover (PP), a quem apoiou nas duas últimas eleições municipais. Ao contrário de Ivo, Rover não está apoiando a candidatura do tucano Expedito Júnior a governador, preferindo aderir à campanha de reeleição do governador Confúcio Moura (PMDB).

Ao explicar porque resolveu aderir a Expedito, a despeito de terem passado os últimos meses trocando cutucadas, o parlamentar disse ao vivo: “Tivemos divergências políticas, mas em nome do bem do Estado e para unir o nosso grupo, abraçamos esse projeto político”.

Sobre o prefeito vilhenense, Cassol disparou, sem mencionar o nome do mandatário: “Tinha gente que toda hora tava pendurado num galho. Quem faz isso não tem credibilidade”, desabafou, insinuando  que o correligionário não se empenhou pela candidatura de sua irmã, Jaqueline Cassol (PR), eliminada da disputa no primeiro turno, concorrendo a governadora.

A parte final da entrevista foi reservada à artilharia realmente pesada: Cassol chamou Rover, literalmente, de “mulher de malandro”. Conforme o senador, “é aquela que apanha, apanha, apanha, mas recebe uma alisadinha e diz que está tudo bem”.

Dizendo ter como fonte o site da própria prefeitura, Ivo disse que Rover chegou a afirmar que o Estado estaria devendo R$ 4 milhões de repasses para o UTI do Hospital Regional. O parlamentar informou que o próprio prefeito teria feito um acordo com o Estado, perdoando metade da dívida.

“O que o Zé Rover deveria fazer era sair na rua pedindo desculpas e não ficar desfilando de mãos dadas com quem deu um tombo, deu um calote no povo de Vilhena”.

Com informações da Folha do Sul Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *