PF faz operação para prender grupo que usava o WhatsApp para lavagem de dinheiro em RO

Mandados de prisão estão sendo cumpridos em Guajará-Mirim, na fronteira com a Bolívia. Grupo movimentou cerca de R$ 20 milhões e tinha vida financeira incompatível.

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (26), uma operação para desarticular um grupo criminoso especializado em evasão de divisas, operações financeiras não autorizadas e lavagem de capitais em Guajará-Mirim (RO), na fronteira com a Bolívia. Segundo a PF, a quadrilha usava um grupo no WhatsApp chamado “Câmbio Guayará” para fazer as movimentações.

Durante a manhã estão sendo cumpridos nove mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporárias e cinco de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Guajará-Mirim. Também foi determinado o bloqueio das contas bancárias dos investigados.

Durante a investigação, a PF identificou que o grupo recebia transferências e depósitos advindos de pessoas domiciliadas em diversos estados do Brasil através de contas bancárias nos nomes dos integrantes e em de “laranjas”.

Ainda segundo a PF, para fazer a evasão de divisas e lavagem de capitais os investigados utilizavam um grupo no aplicativo WhatsApp. Esse grupo era chamado de “Câmbio Guayará” e nele os criminosos trocavam informações e negociavam moedas estrangeiras por valores abaixo dos que são praticados no mercado.

A PF estima que cerca de R$ 20 milhões foram movimentados pela quadrilha, que em Guajará-Mirim ostentava uma vidade luxo que era imcompatível com a capacidade financeira.

Conforme a polícia, os presos na operação serão ouvidos pelo delegado na Delegacia de Polícia Federal em Guajará-Mirim e depois encaminhados para presídios estaduais.

Fonte: g1

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário