PM do DF multa motoristas que estão na fila para abastecer o carro; veja vídeo

Em alguns postos, já tem combustível na bomba, mas o condutor enfrenta longas filas e, em alguns pontos, são multados por bloquear a passagem de outros motoristas

A corrida dos motoristas aos postos de combustíveis do Distrito Federal provoca filas que dão volta no quarteirão, ao longo do Eixinho e do Setor de Clubes Sul, por exemplo. Não bastasse a restrição no abastecimento gerada pela greve dos caminhoneiros, o jornal Correio Braziliense recebeu vídeos de condutores denunciando que a Polícia Militar está multado quem está na fila por estacionamento em lugar proibido.

Em um dos casos, a motorista, indignada, mostra que a fila dá volta na tesourinha e se estende pelo Eixo Rodoviário, onde os policiais estariam aplicando as multas. Um outro condutor registra os motoristas tentando argumentar com os policiais para não serem punidos. Num terceiro vídeo, o policial militar é filmado explicando que os condutores estão bloqueando a passagem de outros carros e, por isso, estão sendo multados.

O Centro de Comunicação Social da PM citou o artigo 253-A do Código de Trânsito Brasileiro para justificar a ação: usar veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via é infração gravíssima, punida com multa, suspensão do direito de dirigir por um ano e apreensão do veículo. A lei prevê ainda o recolhimento do documento de habilitação, remoção do veículo e proibição de receber incentivo de crédito por dez anos para aquisição de veículos.

Fila para galão

No posto da comercial do Sudoeste teve duas filas: uma de carros e outra de condutores a pé (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press )

No posto localizado na 1ª avenida do Sudoeste, logo nas primeiras horas do dia a fila ocupava parte da avenida principal, dava a volta na quadra até o motorista, finalmente, chegar na bomba. Alguns motoristas, além de abastecer o carro, levaram combustível a mais em galões.

Em uma das bombas, se formou uma fila de pessoas somente com o galão nas mãos. Os frentistas exigiam que os clientes comprovassem que o recipiente tinha o selo do Inmetro. Mas logo a fila de quem estava a pé foi desfeita porque outros motoristas consideraram injusto.

Em Águas Claras, motoristas também têm que ter paciência para conseguir encher o tanque. A fila começa na altura da Rua 36 Norte, esquina com a Avenida das Castanheiras, contorna a Unieuro e segue pela Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Com isso, a saída de Águas Claras está tumultuada. As pessoas estão esperando mais de 40 minutos para abastecer.

Fonte: correiobraziliense

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário