Polícia Civil emite nota sobre caso de delegado acusado de estupro

[su_frame align=”right”] [/su_frame]A Polícia Civil emitiu nota nesta segunda-feira sobre o caso do delegado, que está sendo acusado de manter relações sexuais com uma suspeita na Central de Polícia e de ter assediado outra durante interrogatório. Os supostos casos teriam ocorrido na semana passada e foi registrado boletim de ocorrências. O delegado se defendeu, em nota enviada a imprensa ainda na semana passada. Veja a nota da Polícia Civil, que garante ter “adotado todas as medidas para apurar o caso”:

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA POLÍCIA CIVIL

A Direção Geral da Polícia Civil de Rondônia vem a público prestar os seguintes esclarecimentos em face da notícia veiculada nos meios de comunicação no sentido de que um delegado plantonista teria praticado violência sexual contra uma mulher na Central de Flagrantes de Porto Velho.

Informamos que, tão logo a notícia chegou ao conhecimento desta direção, incontinenti foram acionadas as Delegacias Especializadas de Repressão a Crimes Funcionais (DERCF) e em Atendimento à Mulher (DEAM), onde foram abertos procedimentos de verificação de procedência das informações.

Esclarece-se que a Polícia Civil de Rondônia tem como um dos seus princípios basilares a regra segundo a qual o servidor deve conduzir-se na vida pública e privada de forma a dignificar a função policial, e, indistintamente do posto ocupado, todo servidor deve nortear sua conduta de acordo com essa regra.

Qualquer servidor da Polícia Civil, em sendo comprovado algum procedimento irregular, através do devido processo legal, estará sujeito às medidas disciplinares cabíveis, previstas no Estatuto da Polícia Civil, sem prejuízo das sansões penais aplicáveis.

Faz-se imperativo esclarecer que, após a famigerada denúncia, as supostas vítimas Sarolinda S.M., 25 anos e Mayara K.M., 24 anos, em novo depoimento prestado na DEAM, assistidas de seus respectivos advogados, confessaram que fantasiaram a estória da violência sexual, como forma de represália ao delegado pelo fato de este não ter aderido às propostas de vantagens sexuais que elas lhe ofereceram em troca de favorecimento diante da Ocorrência Policial de receptação que pesava sobre as mesmas.

Diante de todas essas informações, contra e a favor de um Delegado de Polícia da Instituição, a Direção Geral determinou que os fatos sejam devidamente apurados de forma imparcial por seus órgãos competentes, visando não só preservar todas as pessoas envolvidas, mas também a própria Instituição.

Assessoria de Comunicação da Polícia Civil

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário