Polícia Civil prende acusados do homicídio do advogado Arthur Wanderbroock

O crime teria sido encomendado por Alex Cowboy por cerca de R$ 2mil e o alvo seria apenas seu desafeto o Keno, porém o advogado se movimentou e também foi alvejado.

Após dez meses de intensas investigações a Policia Civil elucidou e prendeu os acusados do duplo homicídio que vitimou em 16 de abril do ano passado o advogado Arthur Wanderbroock, popular “Portuga” e seu amigo Alessandro Célia Rigato, o “Keno”.

O Serviço de Investigação e Captura da Polícia Civil (Sevic), recebeu recentemente novas informações que revelaram a autoria do crime aos acusados Marcelo Vicente Celestino e Gilson Oliveira Dos Santos (Neguinho Do Brinco). O mandante do crime teria sido Alexsandro Ferreira de Sousa, conhecido por Alex Cowboy que foi executado no ultimo dia 28 de janeiro deste ano, dentro de seu veículo na cidade de Seringueiras.

Marcelo Vicente foi preso nesta ultima quinta feira (09) em cumprimento a um mandado de prisão. Gilson Oliveira teve seu pedido de prisão decretado no final da tarde desta Sexta feira (10), ambas determinações judiciais foram cumpridas pela Policia Civil.

Uma testemunha revelou detalhadamente a polícia como procedeu a ação criminosa, bem como atribuição e motivação. A testemunha afirmou que o acusado Marcelo, foi o piloto da motocicleta e Gilson foi o atirador, ainda foi relatado que os assassinos foram ao estabelecimento para executar a vítima Alessandro Célia Rigato “Keno”, porém um dos disparos atingiu fatalmente o advogado Arthur Wanderbroock.

O crime teria sido encomendado por Alex Cowboy por cerca de R$ 2mil e o alvo seria apenas seu desafeto o Keno, porém o advogado se movimentou e também foi alvejado.

Os executores e o mandante possuem uma vida pregressa no mundo do crime, com varias passagem por diversos tipos de crimes.

Com a elucidação deste polêmico duplo homicídio, torna inválida à acusação inicialmente feita pela Policia Federal, apontando como autores destes assassinatos, um suposto grupo de extermínio formado por Policiais Militares.

Nota da Policia Civil

Ao longo do ano de 2016, em meados de 22 de junho, durante as investigações, policiais civis de Jaru efetuaram a prisão de ALEXSANDRO FERREIRA DE SOUZA, o “ALEX COWBOY”, principal suspeito deste crime. Naquela ocasião, ALEX transportava munições e gêneros alimentícios para jagunços em uma fazenda da zona rural de Campo Novo, sendo abordado e preso, próximo de Monte Negro, sendo conduzido para a Delegacia de Ariquemes, onde foi autuado em flagrante e posto em liberdade, após pagar fiança-crime.

A equipe de investigação da Delegacia de Jaru descobriu que ALEXSANDRO FERREIRA DE SOUZA trabalhava como jagunço, fazendo segurança privada clandestina com armas para um morador de Jaru, por nome DAVID TEIXEIRA DE SOUZA, sendo tentado, em duas ocasiões, a captura de DAVID que estava escondido na Fazenda Curitiba na divisa de RO e MT, municípios de Cabixi e Comodoro, todavia apenas na terceira ocasião, em 30 de agosto de 2016, DAVID TEIXEIRA DE SOUZA foi preso nas proximidades de São Miguel do Guaporé, ocasião em que trafegava em uma camioneta com quatro armas de fogo e aproximadamente 34 mil reais, seguindo viagem do Mato Grosso para a Fazenda Bom Futuro, na região de Seringueiras/RO.

Na prisão em flagrante de DAVID TEIXEIRA DE SOUZA pelo crime de porte ilegal de arma de fogo, ainda foi dado cumprimento a mandado de prisão pelo crime de homicídio, tendo aquele nacional sido indiciado em investigação de Ariquemes, pelo desaparecimento da adolescente jaruense TAISA MARIA BUSS, ocorrido na Fazenda Nova Vida, em meados de novembro de 2014.

No dia 09 de março, o nacional MARCELO VICENTE CELESTINO foi preso, em cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pelo envolvimento no assassinato de ALDAIR BORGES DE FREITAS, o “POLACO”, executado por dois motoqueiros, com disparos de arma de fogo, fato ocorrido por volta das 20:20 horas do dia 11 de junho, na Rua Américo Vespúcio, Jardim Novo Estado. As investigações da Polícia Civil apontam que ALEXSANDRO FERREIRA DE SOUZA foi o executor de “POLACO”. Sobre este crime, a Polícia Civil não forneceu mais detalhes sobre a motivação e outros envolvidos, para não atrapalhar as investigações que estão em curso, não sendo descartadas novas prisões nas próximas horas de pessoas envolvidas neste crime.

Sobre o homicídio de Keno e do advogado

A Polícia Civil confirmou em nota que, nas últimas horas, foram inquiridas mais testemunhas e realizadas novas diligências, sendo representado pelas prisões temporárias dos moradores de nomes MARCELO VICENTE CELESTINO, conhecido por “MARCELO” e GILSON OLIVEIRA DOS SANTOS, conhecido por “NEGUINHO DO BRINCO”, apontados como executores de KENO e do advogado CARLOS ARTHUR.

Na referida nota, a Delegacia de Polícia Civil de Jaru informa que as investigações apontam que MARCELO teria guiado uma motocicleta HONDA/BROZ escura, enquanto “NEGUINHO DO BRINCO” foi apontado como o autor dos disparos, tratando-se de crime de encomenda que visava ceifar a vida de ALESSANDRO CÉLIA RIGATO, conhecido por “KENO”, sendo ainda feitas diligências para esclarecer as circunstâncias da morte do advogado CARLOS ARTHUR.

Segundo a nota, trata-se de crime de encomenda cometido por esta dupla, mediante pagamento de pele menos a quantia de R$ 2.000,00 (dois mil reais) cujo alvo seria, em princípio, apenas “KENO”. O mandante, conforme as investigações, seria ALEXSANDRO FERREIRA DE SOUZA, o “ALEX”, por conta de problemas que ele vinha tendo com a vítima ALESSANDRO.

Segundo o que foi investigado, “ALEX” frequentemente tinha o carro revistado e era muito visado pelas forças policiais, tendo aquele desconfiado que “KENO” fazia denúncias falsas para a Polícia, mencionando que ALEX estava armado. Ainda, ficou apurado que, na noite do crime, a vítima e ALEX teria de alguma forma tido um desentendimento no Restaurante OÁSIS situado na Rua Marechal Rondon, esquina com a Av. Rio Branco (atual Truck do Cheff), levando KENO, ainda na madrugada, procurar a Delegacia e registrar ocorrência de ameaça que ALEX teria lhe feito.

Na nota, a Delegacia de Polícia Civil de Jaru informa que MARCELO VICENTE CELESTINO já estava preso, desde ontem, por envolvimento na morte de “POLACO” e, nesta data, após ordem de prisão temporária de 30 dias, foi dado cumprimento ao mandado de prisão pelo seu envolvimento na execução de KENO e “PORTUGA”, sendo também localizado e preso GILSON OLIVEIRA DOS SANTOS que foi recolhido à Casa de Detenção de Jaru.

Também foi apontado que a motocicleta usada no duplo homicídio fora apreendida, ainda em meados de novembro de 2016, no município de Ouro Preto do Oeste, em poder de uma dupla que fazia uso do veículo para praticar assaltos.

Em nota, a Delegacia de Polícia Civil de Jaru esclarece que as investigações foram presididas pelo Dr. Salomão de Matos Chaves e Dr. Renato Batistela Cavalheiro, contaram ainda com auxílio e colaboração do Dr. Vinícius Lucena Tavares Bastos e Dr. Ricardo Rodrigues, ambos lotados na Delegacia de Ariquemes, sendo contado com ampla contribuição do Ministério Público do Estado de Rondônia, inclusive com suporte do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) ao longo dos trabalhos investigativos. Ainda foi informado que nas últimas diligências o serviço velado da Polícia Militar auxiliou nos trabalhos.

Entabulada na nota da Delegacia de Polícia Civil de Jaru que mais investigações estão em curso visando esclarecer vários outros delitos, inclusive o duplo homicídio de dois sem terras ocorridos na tarde do dia 23 de janeiro de 2016, na Rua Rio Grande do Sul e Linha 605, Setor 5, Jaru/RO, quando foram assassinados ENILSON RIBEIRO DOS SANTOS e VALDIRO CHAGAS DE MOURA.


Fuga dos assassinos do advogado Portuga e Keno por painelpolitico

Fonte: jaruonline

 

 

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário