Polícia diz que jovem morta com namorado não era alvo

[su_frame align=”right”] [/su_frame]A Polícia Civil acredita que a mulher de 18 anos, que morreu juntamente com o namorado de 35 anos, na última segunda-feira (1º) não era alvo da execução. O crime aconteceu em frente a um comércio na Avenida Rio Branco, Bairro Jardim Jorge Teixeira, em Ariquemes(RO), a cerca de 200 quilômetros de Porto Velho. Uma das linhas de investigação da polícia é o envolvimento do homem com agiotagem, o que pode ter motivado o crime.

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Thiago Flores, a mulher foi morta com apenas um tiro. Há suspeita que foram usadas duas armas no crime. “Estamos aguardando o resultado do IML [Instituto Médico Legal], mas acreditamos que ela morreu por ter testemunhado o homicídio, ou por ter reconhecido o autor dos disparos, pois até onde sabemos, ela não tinha envolvimento nas atividades dele”, explica Flores.

Com o homem foram encontrados vários cheques e a polícia apurou que ele trabalhava com compra e venda veículos. O delegado informou que o homem já teve passagens pela polícia, como furto e violência doméstica. Os celulares das vítimas foram recolhidos e serão periciados. “Pela quantidade de cheques encontrados, a polícia não acredita que sejam oriundos apenas da venda de carros, mas as investigações continuam a fim de desvendar este crime e prender o autor”, conclui o delegado.

O caso
Um casal de namorados foi morto a tiros na noite da última segunda. O homem de 35 anos e a mulher de 18 estavam em frente a um comércio quando foram alvejados por um motociclista que fugiu em seguida.

CASAL É EXECUTADO A TIROS EM ARIQUEMES

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário