Polícia investiga 4 suspeitos de envolvimento na morte do Bacharel em direito

advmorto-300x280A Polícia Civil de Porto Velho seguirá quatro linhas de investigação para esclarecer o homicídio do bacharel em direito Wallyson Macedo dos Santos, de 28 anos, morto após ser atingido por seis tiros no dia 30 de outubro, em Porto Velho. De acordo com a Delegacia de Crimes Contra a Vida, responsável pela investigação, pelo menos quatro pessoas já são consideradas suspeitas de terem cometido a execução.

Wallyson chegou de caminhonete ao trabalho, um escritório localizado na Avenida Vieira Caúla, Bairro Embratel, por volta das 12h, quando foi alvejado pelos disparos, antes mesmo de descer do veículo. Segundo a delegada Leizaloma Carvalho, o homem é natural de Rolim de Moura (RO) e morava na capital desde fevereiro deste ano. A polícia realizou diligências até o interior do estado para ouvir testemunhas. Pelo menos 12 pessoas já prestaram depoimento sobre o caso.

Também estão sendo analisadas as imagens das câmeras de segurança de estabelecimentos da região onde o crime aconteceu. A polícia tenta encontrar vestígios que levem à identificação da motocicleta utilizada na fuga dos criminosos. No dia 30 de outubro, durante as primeiras apurações, o tenente da Polícia Militar Jairo Carneiro afirmou que o crime teria sido premeditado, já que, segundo testemunhas, a vítima estava sendo observada há alguns dias. Leizaloma não descarta a possibilidade de haver um mandante da execução.

A delegada também salientou que, por conta das quatro linhas de investigação, não há prazo para os trabalhos serem encerrados. “Tudo está sendo feito para que a motivação e a autoria do crime sejam descobertas”, conclui Leizaloma.

Fonte: rolnews.com

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário