Coluna – Confúcio amarela, tumultua o processo e joga Rondônia no caos

E ainda, vaiado, Hildon Chaves sobe mais um degrau rumo a impopularidade. Isequiel Neiva falou, falou e não fez, Espaço Alternativo continua inacabado

Irresponsabilidade

Mais que um mero jogo político, a decisão de Confúcio Moura em não deixar o cargo, conforme ele próprio havia combinado com seu vice Daniel Pereira, no dia 12 de março, afeta a vida de todos os rondonienses graças a atitude que podemos classificar de, no mínimo, irresponsável. Ao comunicar seu afastamento e dar carta branca à Pereira, o vice passou, em comum acordo com Confúcio, a fazer trocas na estrutura administrativa do Estado, que ele acreditava, resolveria alguns problemas, como a segurança pública.

Porém

Confúcio decidiu mudar de idéia como quem muda de camisa. No fim de semana, alegando sentir-se pressionado por deputados e pelo MDB, desistiu (extra-oficialmente) de ser candidato ao senado (ao menos por enquanto, vai que ele muda de idéia de novo) e nesta segunda, sem sequer fazer a gentileza de comunicar seu vice oficialmente, passou a desfazer o que Pereira tinha feito. Reempossou o exonerado Enedy Araújo e trocou o diretor do DER. Pior, vai enfrentar a greve da educação por pura falta de gente qualificada para dialogar com o sindicato.

Explico

Uma das principais pautas dos professores diz respeito à aposentadoria da classe. Enquanto policiais civis e militares se aposentam com a integralidade de seus vencimentos, os professores perdem cerca de 40% de seus salários. Daniel Pereira estava tratando disso e tinha um plano claro para resolver o problema. E foi para o Sintero nesta segunda para conversar com a categoria. Porém, sem a caneta, Daniel não pode assumir nenhum tipo de compromisso, daí a greve vai estourar.

Espalhando boatos

O (ainda) Chefe da Casa Civil do governo Emerson Castro foi quem primeiro deu a notícia da suposta desistência de Confúcio, através de seus porta-vozes em alguns sites que chegaram a anunciar “uma coletiva do governador”. Criaram um factóide atribuindo as medidas adotadas por Daniel Pereira como “um atropelo” e que o vice tinha “avançado demais”. Não é verdadeira essa informação. Todas as trocas feitas por Daniel foram de comum acordo com Confúcio. O governador sabia de tudo.

Cortina de fumaça

A tal “desistência” na verdade é apenas um jogo de cena. Confúcio vinha sendo pressionado por Maurão de Carvalho para que definisse sua situação política, conforme a coluna noticiou na semana passada. Na sexta-feira, Maurão avisou ao deputado Laerte Gomes que renunciasse ao cargo de líder do governo na Assembleia, para não sofrer desgaste com a abertura de pelo menos duas CPIs, uma sobre o famigerado pagamento feito por Isequiel Neiva a uma construtora de Ji-Paraná e outra sobre a desapropriação de terras para os desabrigados pela enchente de 2014. Com a confusão causada no fim de semana, Confúcio ganha tempo e consegue se recompor do choque de ter sido apertado de todos os lados, inclusive pela turma que curte um carguinho público, que estava começando a pensar como seria o restante do ano na fila do desemprego.

A pergunta que fica é:

Cadê os órgãos de fiscalização e controle que ainda não deflagraram uma operação para botar um fim nessa lambança.

Nem Maurão, nem Acir

Confúcio tem um plano “C”, ele ainda avalia lançar Wagner de Freitas, atual secretário da Sefin como candidato ao governo. O plano é meio doido, ainda mais nessa altura do campeonato, mas quem duvida das idéias de Confúcio, né?

LEIA TODAS AS COLUNAS PAINEL POLÍTICO AQUI

Não se engane

Confúcio tem aquele jeito sorridente, e cara de “bom velhinho”, mas ele não vai deixar barato essa pressão toda sofrida nos últimos dias. De alguma forma ele vai retaliar Maurão, Raupp e quem mais andou apertando ele. De uma forma ou outra, até abril ele tem a caneta na mão e caso resolva mesmo ficar, até o fim do ano. Não vai deixar saudades, e fez o que a gente já tinha pedido por aqui. Fica Confúcio, só assim a gente se livra de você da vida pública. Rondônia agradece.

Não cumpriu

Isequiel Neiva deixou o DER sem cumprir sua principal promessa ao assumir, a de concluir as obras do enrolado Espaço Alternativo de Porto Velho. Cheio de bravatas quando chegou ao cargo ainda em 2015, no lugar do coronel-bombeiro-faz-tudo, deu declarações à toda a imprensa, gravou vídeos e entrevistas, usou e abusou da promoção pessoal (que só a gente viu, porque lá pelas bandas dos MPs estão muito ocupados com a Lava-Jato) e até hoje a coisa está lá, emperrada. Hoje o Professor Nazareno, “o esculachador geral da República” mostrou o elefante.

4 milhões

Esse é o número de acidentes de trabalho registrados no Brasil nos últimos seis anos. Destes,14.412 morreram e o total de prejuízos causados pelos acidentes custaram mais de R$ 26,2 bilhões à Previdência Social, de acordo com dados do Ministério Público do Trabalho (MPT). Os trabalhadores com remuneração mais baixa são os que mais sofrem com os acidentes. A maior parte das lesões são cortes e feridas (21%), fraturas (17%) e contusões (15%). Entre as atividades mais atingidas, estão aquelas relacionadas a hospitais, supermercados, à administração pública e à construção de edifícios.

Desceu mais um

Hildon Chaves, prefeito de Porto Velho não gostou nem um pouquinho da vaia que levou quando foi anunciado no estádio, durante uma partida de futebol daquelas que só servem para político fazer aparição e dizer que “faz caridade”. Vaiado, ficou visivelmente desorientado. A julgar pela velocidade com que vem perdendo popularidade e não começar a administrar, de fato a cidade, vai indo para o mesmo caminho que seguiram Roberto Sobrinho e Mauro Nazif. No caso de Hildon, vale o ditado, quanto mais alto sobe, maior é a queda. Criou expectativas demais na população e só me vem à cabeça aquela cena dele em cima do viaduto declamando o poema brega da campanha, “deixa eu cuidar de você”. pois é, deixaram, e agora?

Em Brasília

O deputado federal Luiz Cláudio (PR) comemora a quase finalização das obras dos viadutos de Porto Velho e a instalação das pontes telescópicas no Aeroporto da Capital, que dar um “refresco” para os passageiros que não vão mais precisar desembarcar e embarcar na chuva ou no sol. Também está sendo instalada a alfândega, o que finalmente vai permitir que o Jorge Teixeira, de verdade, seja um aeroporto internacional e possa receber voos do exterior e abrir novas linhas aéreas para a América do Sul. Justiça seja feita, isso só está sendo possível porque o deputado destinou emenda individual para esse fim, junto com Ivo Cassol. Tá, eu sei, não fizeram mais que obrigação e é verdade, o problema é que ninguém se preocupava com isso até então.

Dieta detox não é para qualquer um

Dieta detox está na moda há um certo tempo. Provavelmente você já escutou algo como: “exagerou no final de semana ou no feriado? Aposte no detox”. Entretanto, não é todo mundo que pode seguir um cardápio desintoxicante. A dieta detox é contra-indicada para crianças, adolescentes, gestantes e nutrizes (ama-de-leite). Se não estiver nesse grupo, também vale tomar cuidado. O ideal é consultar um especialista para montar o cardápio ideal para você, alertam médicos. Muitos se enganam ao pensar que a dieta detox tem como objetivo emagrecer. Ela é um tipo de alimentação que ajuda o corpo a se livrar de toxinas. “Dietas muito restritas não podem ser feitas por muito tempo e nem são efetivas a longo prazo. O cérebro tem um mecanismo de retornar ao peso original. A curva da perda de peso é como um J e é normal emagrecer menos com o tempo. E ao perceber que está recebendo poucas calorias [ingerindo alimentos pouco calóricos e quantidades reduzidas], o corpo também economiza energia”, explica o endocrinologista Renato Zilli, do Hospital Sírio Libanês.

Participe do debate. Comente!