Coluna – Prefeitura quer promover agenda de 35 dias de carnaval em Porto Velho

Pão e circo

A máxima romana “pão e circo para as massas” segue se perpetuando. Em Porto Velho, pelo menos, a coisa disparou neste fim de ano. Enquanto alunos da região rural seguem fora da sala de aula, a prefeitura está organizando um show com o cantor Daniel e acreditem, uma programação de carnaval que vai durar 35 dias. Isso mesmo, Porto Velho terá uma agenda de eventos carnavalescos que vai incluir shows e os blocos de rua.

E aí está o maior problema

Membros da representação rondoniense da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, além de outros segmentos do comércio, estão preocupados com essa folia da prefeitura principalmente por causa dos blocos de rua. É que o município, tampouco o Estado, conseguem garantir a integridade dos estabelecimentos, que são vandalizados durante a passagem dos blocos. Sem contar que vários precisam fechar (principalmente os restaurantes) porque o acesso se torna impossível. E vale lembrar que nem todo mundo vive de festa como a turma da prefeitura.

Por conta dessa situação

Representantes da Abrasel e empresários estão ameaçando entrar na justiça para suspender o desfile dos blocos nas ruas da cidade. Eles querem que as festividades sejam transferidas para locais adequados, como o Espaço Alternativo, ou Parque dos Tanques. É certo que o carnaval movimenta a economia informal, já que os ambulantes tomam conta. O problema é que eles não geram impostos e causam prejuízos aos empresários que pagam não apenas os impostos, como garantem os empregos formais. O Ministério Público precisa assumir o comando dessa situação, já que na prefeitura a ordem é deixar rolar a folia.

Local adequado

Um dos locais onde os blocos poderiam desfilar é o Espaço Alternativo, já que o local virou “terra de ninguém”. Ambulantes e “galeras” ocupam o lugar que está se transformando em uma imensa feira livre, com direito a fumaça, lixo e acidentes.

A coluna

Falou com a assessoria da Funcetur, que confirmou a festança de 35 dias, “mas serão vários eventos”. Sobre a proteção aos comerciantes, a informação é que “não foi resolvido ainda a forma como será feito isso”.

Escuridão

A Praça Marechal Rondon, também conhecida como “praça do Baú” ou “praça do fórum”, está às escuras. Aliás, praça em Porto Velho é um problema sério. A prefeitura ignora totalmente a situação da Jonathas Pedrosa, que outrora foi um espaço bonito, arborizado. Hoje é um amontoado de lixo, mato e barracas de lona que, dizem, “são camelôs”. Realmente o centro comercial da capital está decadente. Chega a deprimir quem lembra como eram esses espaços no passado.

R$ 24 milhões

O dinheiro era para construir creches populares, mas a prefeitura de Porto Velho simplesmente perdeu o recurso que havia sido destinado pelo senador Acir Gurgacz (PDT) que se irritou com o descaso. CLIQUE AQUI para entender o caso.

Sintonia é tudo

O vídeo abaixo circula no Twitter e dispensa comentários

Falando em Bolsonaro

No campo da política externa, sem querer ser pessimista, mas estamos fechando portas com mercados importantes como Europa e China confiando unicamente nos americanos. Essa estratégia está longe de ser inteligente para um país que já foi emergente e hoje está afundado na crise. A política externa dos EUA é a de vender o máximo, comprar o mínimo e ainda impor barreiras de importação. A sociedade americana tem poder de compra, o que favorece o consumo. Já a brasileira quer comprar, mas não tem dinheiro. É uma política totalmente nova, e vamos ver no que vai dar.

Na Argentina

Após a ascensão do neoliberal Maurício Macri as coisas para os “hermanos” apertou. Os argentinos estão indo para a Bolívia procurar emprego. Sinal do fim dos tempos.

Estudos apontam que melatonina pode inibir crescimento de tumores

 A melatonina é comumente conhecida como o hormônio do sono, responsável por regular o ciclo da atividade de repouso e vigília. Nos últimos anos, porém, pesquisadores demonstraram que essa substância também tem o poder de reduzir o crescimento de tumores e a proliferação das células cancerígenas. Por enquanto, os testes foram feitos em animais, então existe o alerta de que o tratamento em humanos ainda é incerto. Uma revisão científica sobre a atuação da melatonina na prevenção e tratamento do câncer apontou que o hormônio tem papel oncológico nos casos de mama, ovário, gastrite e próstata, por exemplo. A ação positiva estaria relacionada, principalmente, ao efeito antioxidante do hormônio e inibidor da formação de vasos sanguíneos. “O tumor cresce e ativa mecanismos de formação de vasos sanguíneos [processo chamado de angiogênese] para poder se alimentar. Percebemos que as células [cancerígenas] não cresciam, pois a melatonina segura o crescimento dos vasos”, explica Debora Aparecida Zuccari, coordenadora de um grupo de pesquisa sobre o tema da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O time brasileiro trabalhou em parceria com pesquisadores do Hospital Henry Ford, de Michigan, nos Estados Unidos, para verificar os efeitos da melatonina no crescimento tumoral e na angiogênese em casos de câncer de mama. Os cientistas injetaram células tumorais de humanos em ratos e, ao fim de 21 dias, as fêmeas tratadas com melatonina apresentaram tumores significativamente menores do que as do grupo de controle (sem melatonina). Além disso, o câncer dos roedores que não receberam o tratamento cresceu entre o 14º e o 21º dia, enquanto isso não foi observado no grupo tratado. Debora explica que a melatonina age como uma faxineira que, durante a noite, limpa a ‘sujeira’ deixada pelas células. Estas sofrem milhões de processos metabólicos durante o dia e acumulam substâncias desnecessárias. “Dessa forma, a melatonina consegue impedir que as células se proliferem, isso seria uma ação preventiva”, diz a pesquisadora.

Deixe um comentário