0

Decorando

O deputado federal Marcos Rogério, eleito senador no domingo, 7, esteve em Brasília esta semana visitando o gabinete do Senador Ivo cassol, que a partir de fevereiro Marcos vai chamar de seu. Ele esteve por lá olhando tudo, e na última visita levou um decorador, “arrumei meu gabinete na Câmara e agora vou organizar esse aqui do Senado”, declarou. Ele só não disse se o dinheiro gasto na decoração será do bolso dele ou do nosso.

Reunião partidária

Quem também esteve em Brasília esta semana foi Léo Moraes, recordista de votos para a Câmara Federal no domingo. Mas Léo foi tratar de um assunto mais prático, para onde o PODEMOS, sua legenda, vai neste segundo turno. Ficou resolvido que os filiados estão liberados, e que o partido não se meter.

Deu ruim geral

Acir Gurgacz não teve apenas os recursos rejeitados pelo Supremo, ele ainda foi preso logo em seguida. O senador estava em Cascavel. De acordo com o Jornal Nacional ele teria tido uma queda de pressão no momento de sua detenção e foi encaminhado a um hospital. Seus advogados tentam um habeas corpus no próprio STF. O problema foi que Gurgacz teceu duras críticas ao ministro Alexandre de Moraes. Além disso, ele ainda levantou suspeitas sobre o patrimônio de Moraes.

Só em 2019

O novo prédio da Assembleia Legislativa em Porto Velho só deverá estar disponível para os deputados a partir de 2019, e a previsão é abril ou maio. Faltam ainda alguns detalhes.

Cemitério

Começam a aparecer os esqueletos (e não são poucos) no armário do coronel Marcos Rocha (PSL), que disputa o segundo turno em Rondônia com Expedito Júnior (PSDB). O mais interessante são os gordos pagamentos feitos pelo governo de Confúcio Moura (MDB) ao coronel. Rocha foi secretário de Justiça na gestão de Moura. Em 2015 ele havia recebido, em apenas duas parcelas, R$ 88.600, em pecúnia, paga por ele mesmo para ele. Este ano, ele recebeu R$ 124 mil que estão sendo pagos em 12 parcelas de R$ 10 mil e a última será de pouco mais de R$ 4 mil. Certamente os pagamentos estão dentro da legalidade, mas em um país onde se fala tanto em extinguir os privilégios, fica complicado manter o discurso de “novidade” com um contracheque desses.

Pior

Passada a euforia do primeiro turno, os eleitores, principalmente servidores públicos, começam a olhar com mais calma a ficha do coronel, e percebe que ele é a continuação do MDB no poder. Inclusive se aconselhou, olha com quem, Confúcio Moura quando decidia sua candidatura. E quem conta isso é o próprio Confúcio.

Crime organizado

Um dos maiores desafios dos próximos governantes, tanto nos estados quanto em Brasília será conter o crime organizado no país. Nesta quinta-feira, em Rondônia, a Polícia Federal deflagrou operação que desmontou um plano de resgate de presos no presídio federal e atentados e sequestros que ocorreriam em diversos pontos. Facções criminosas estão mais organizadas que nunca em todo o território nacional por culpa dos próprios governantes, que sempre ignoraram o problema, minimizando rebeliões e demonstrações de força.

Atuação expressiva

Expedito Netto foi o segundo deputado mais votado nas eleições de domingo. E isso teve um motivo bem simples, ele conseguiu brilhar por conta própria, graças a sua atuação no primeiro mandato. Netto foi o único deputado de Rondônia que votou contra a manutenção do foro privilegiado de Moreira Franco, além de ter posicionamentos firmes em relação a diversos outros temas polêmicos. Em julho do ano passado, matéria de PAINEL POLÍTICO já indicava que o deputado, cuja eleição todos atribuíam a seu pai, havia atingido a “maioridade” política, e estava surpreendendo.

Batimento cardíaco irregular pode aumentar risco de demência, diz estudo

Pessoas com um tipo específico de batimento cardíaco irregular chamado fibrilação atrial podem experimentar um declínio mais rápido nas habilidades de pensamento e memória e ter um risco maior de demência do que aquelas sem fibrilação atrial, de acordo com um estudo publicado na edição on-line de 10 de outubro de 2018 da “Neurology”, o jornal médico da Academia Americana de Neurologia. Com fibrilação atrial, uma forma de arritmia, o ritmo normal do coração está fora de sincronia. Como resultado, o sangue pode acumular-se no coração, possivelmente formando coágulos que podem ir para o cérebro, causando um derrame. A boa notícia do estudo é que as pessoas com fibrilação atrial que estavam tomando anticoagulantes eram na verdade menos propensas a desenvolver demência do que aquelas que não tomavam. Para o estudo, os pesquisadores analisaram dados sobre 2.685 participantes com uma idade média de 73 anos, que foram acompanhados durante cerca de seis anos como parte de um estudo maior. Os participantes foram examinados e entrevistados no início do estudo e, em seguida, uma vez após seis anos para os menores de 78 anos e uma vez a cada três anos para aqueles com 78 anos ou mais. Todos os participantes estavam livres de demência no início do estudo, mas 243 pessoas, ou 9%, tinham fibrilação atrial. Através de entrevistas e exames médicos, os pesquisadores reuniram dados do estilo de vida e médicos sobre os participantes no início do estudo e durante cada visita de acompanhamento. Todos foram examinados para fibrilação atrial, para o pensamento global e habilidades de memória, bem como demência. Ao longo do estudo, outras 279 pessoas, ou 11%, desenvolveram fibrilação atrial, e 399, ou 15%, desenvolveram demência.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Vítimas de trabalho infantil poderão ter prioridade em vagas para aprendizes

Previous article

Jean Mendonça perde o mandato após candidata ter recurso deferido no TSE

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like

More in Capa