0

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal deflagraram, na manhã desta sexta-feira (28), a Operação Cash Delivery em Goiás. Essa operação tem como objetivo colher provas da prática de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa atribuída ao ex-senador e ex-governador Marconi Perillo (PSDB) em colaborações premiadas de executivos da Odebrecht.

De acordo com a legislação eleitoral, desde o dia 22 de setembro e até dois dias após pleito, nenhum dos candidatos às eleições 2018 pode ser preso ou detido, a menos que seja flagrado cometendo crime. A chamada imunidade eleitoral de candidatos está prevista no Código Eleitoral (Lei 4.737, de 1965) e começa a valer 15 dias antes da eleição.

Além do ex-governador de Goiás, estão entre os investigados empresários, agentes públicos e doleiros. Também foi preso José Rincon, coordenador de campanha do governador de Goiás, José Eliton (PSDB), que disputa a sua reeleição.

Os mandados são cumpridos nas cidades goianas de Pirenópolis, Aruanã, Aparecida de Goiânia, e Goiânia, além de Campinas (SP) e São Paulo. Cerca de 65 policiais participam das ações.

Por meio de nota, o MPF informou que a Operação Cash Delivery é um desdobramento das investigações da Operação Lava Jato, e decorre de acordos de leniência e colaboração premiada firmados pelo MPF com a Construtora Norberto Odebrecht e seus executivos.

De acordo com tais delações, quando ainda era senador e, depois, também como governador, Marconi solicitou e recebeu propina no valor de, em 2010, R$2 milhões e, em 2014, R$10 milhões, em troca de favorecer interesses da empreiteira relacionados a contratos e obras no Estado de Goiás.

Ainda em nota, o MPF informa que o caso foi remetido à primeira instância a partir da renúncia de Marconi ao mandato de governador de Goiás e a consequente perda de foro privilegiado. O caso foi então assumido pelo Núcleo de Combate à Corrupção do MPF em Goiás e pela Polícia Federal.

A investigação foi iniciada em junho de 2017, perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo a nota do MPF, em julho de 2018 a Justiça Federal autorizou acesso a e-mails e a extratos de ligações telefônicas dos investigados, bem como às suas respectivas localizações, com base em informações das antenas das operadoras de celulares.

Marconi Perillo ainda não se pronunciou publicamente a respeito da Operação Cash Delivery e dos mandados emitidos contra ele.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Ex-mulher já acusou Bolsonaro de furtar cofre e ocultar patrimônio, diz revista

Previous article

Empresa fantasma recebe R$240 mil de campanha de Bolsonaro, diz revista

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like