Quer saber quanto vai custar ter uma arma no Brasil? a gente conta

Com decreto de Bolsonaro deve crescer a venda de armas no país, mas preços e taxas não são para qualquer um

Com decreto de Bolsonaro deve crescer a venda de armas no país, mas preços e taxas não são para qualquer um

Nos Estados Unidos, durante o período de colonização do Oeste, que ficou conhecido como “wild west”, era comum que as pessoas circulassem com armas na cintura. Pistoleiros que sacavam mais rápido foram personagens que fizeram história e preenchem o imaginário em todo o mundo ocidental.

Porém, mesmo naquela época a principal ferramenta dos “gunfighters”, os revólveres custavam caro. A partir da conquista do Oeste, expansão da malha ferroviária, e a chegada da ordem social, as armas deixaram as cinturas e passaram a ser guardadas nas gavetas. Mas, continuam relativamente caras. Nos Estados Unidos, um revólver Taurus, calibre 38, modelo mais simples (85 VTA .38 Special +P 1.41), custa em torno de U$ 540 (R$ 2.010, na conversão direta). Na Europa, o mesmo revólver custa um pouco menos 429 euros (R$ 1.818,59, na conversão direta).

Nesta terça-feira, 15, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou um decreto que flexibiliza a posse de arma de fogo, ou seja, o cidadão poderá comprar sua arma e guardar em casa, desde que devidamente registrada, e claro, que a pessoa preencha os requisitos.

Porém, o que não foi flexibilizado é o preço. Um revólver Taurus, de fabricação nacional, custa em média, R$ 3.990, 00 (preço vai variar de acordo com ICMS cobrado nos estados e frete). É um revólver simples, de 6 tiros, com quase 1 kg de peso.


REVÓLVER TAURUS 85S .38 SPL  /é o revólver mais popular da Taurus e um dos mais vendidos no mundo. 

Porém, antes de comprar uma arma (se você é apenas um cidadão, as taxas variam de acordo com a categoria), é preciso fazer o pedido de registro. A taxa é de R$ 88 (mas deverá ser revisto o valor, para maior, é claro). Após o pagamento, é necessário apresentar ainda um exame de aptidão psicológica, cujos valores variam de R$ 280 a R$ 655, valor estabelecido em tabela pelo Conselho Federal de Psicologia.

Além disso, o candidato a ter uma arma também precisa de uma comprovação de capacidade técnica para o manuseio de arma de fogo, que varia de acordo com o calibre da arma. Em Porto Velho (RO), a comprovação para manuseio de um revólver calibre 38, o preço é de R$ 240, já incluso a munição e o valor que vai aumentando de acordo com a arma. O teste é o mesmo, o que muda é o local (a depender do armamento). Para ter a comprovação porém, é necessário primeiro que seja feita a avaliação psicológica. Até aqui, nosso futuro atirador terá gasto, entre o revólver e as taxas, R$ 4.598,00.

De acordo com o decreto assinado por Jair Bolsonaro estão mantidas as seguintes obrigatoriedade de cursos para manejar a arma;

Ter ao menos 25 anos;
Ter ocupação lícita;
Não estar respondendo a inquérito policial ou processo criminal;
Não ter antecedentes criminais nas justiças Federal, Estadual (incluindo juizados), Militar e Eleitoral;

O pedido para ter a arma em casa continuará sendo feito para a Polícia Federal, que será responsável por autorizar ou não.

Além disso, as pessoas que quiserem ter a arma em casa precisarão obedecer a seguinte exigência:

Comprovar existência de cofre ou local seguro para armazenamento, em casas que morem crianças, adolescentes ou pessoa com deficiência mental;

Não terá direito à posse a pessoa que:

Tiver vínculo comprovado com organizações criminosas;
mentir na declaração de efetiva necessidade (é pré-requisito);
agir como ‘pessoa interposta’ de alguém que não preenche os requisitos para ter posse.
O decreto também prevê que a validade do registro para ter a arma em casa, hoje de cinco anos, passará para dez anos.

Participe do debate. Comente!